Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de maio de 2016. Atualizado às 15h29.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Crise Política

06/05/2016 - 15h29min. Alterada em 06/05 às 15h29min

Anastasia diz que governo tem direito de recorrer do impeachment ao STF

O relator do processo de impeachment no Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG), defendeu o direito do governo de recorrer do processo ao Supremo Tribunal Federal (STF). Seu parecer, pelo afastamento da presidente Dilma Rousseff, foi aprovado hoje na comissão especial do impeachment por 15 votos a 5.
"Esse recurso não depende de mim. Eles têm todos os meios jurídicos à disposição. Sabemos que toda a parte formal dos ritos evidentemente pode ser questionada. Mas toda a competência do mérito da decisão, cabe ao Senado", disse.
O senador parabenizou os trabalhos da comissão, ressaltou que esta primeira decisão diz respeito apenas à admissibilidade do processo e que seu relatório ainda não trata do mérito da questão, ou de culpa da presidente. Entretanto, caso a maioria aprove a admissibilidade na votação marcada para a próxima quarta-feira, 11, no plenário do Senado, a presidente Dilma já será afastada por 180 dias.
Em seu discurso final na comissão, o senador chamou de "mal caratismo" a atitude de alguns senadores que atacaram seu relatório e sua administração como governador de Minas Gerais. O senador reiterou sua insatisfação com as críticas. "Ataques políticos são naturais. Esta é uma Casa política e estamos preparados para debater no mais alto nível. Mas quando se tratam de questões pessoais, evidentemente não fazem parte desse processo e expressam tão somente a característica triste de alguns."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia