Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de maio de 2016. Atualizado às 08h15.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

câmara dos deputados

05/05/2016 - 17h12min. Alterada em 05/05 às 18h16min

STF aprova por unanimidade afastamento de Cunha

Sessão do Supremo julga saída de Eduardo Cunha do mandato e da Presidência da Câmara

Sessão do Supremo julga saída de Eduardo Cunha do mandato e da Presidência da Câmara


Marcelo Camargo/Agência Brasil/JC
Agência Brasil
Por unanimidade, todos os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na tarde desta quinta-feira (5) manter a decisão do ministro Teori Zavascki que determinou a suspensão do mandato do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o afastamento do parlamentar da presidência da Câmara.
Os 11 ministros acompanharam o voto do relator do processo, que é Teori Zavascki. 
No começo da manhã, Zavascki determinou a suspensão do mandato parlamentar de Cunha e o afastamento. O ministro atendeu a um pedido liminar do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
O relator apontou 11 situações que comprovariam o uso do cargo pelo deputado para “constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de embaraçar e retardar investigações”. Cunha chegou a ser classificado como “delinquente” pelo procurador-geral da República. Confira a íntegra da decisão de Zavascki. 

Reações na plateia da Corte

Chico Alencar (P-Sol/RJ) e Randolfe Rodrigues (Rede-PE) riem ao acompanhar sessão do STF
Chico Alencar (P-Sol/RJ) e Randolfe Rodrigues (Rede-PE) riem ao acompanhar sessão do STF
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Enquanto os ministros decidem o futuro de Eduardo Cunha, a plateia está lotada e mostra a reação dos parlamentares que querem a saída do presidente da Câmara.
Integrantes da Rede esperavam a apreciação do Pleno da ação que proíbe que políticos réus na Suprema Corte possam ocupar posições na linha sucessória da Presidência da República. A medida atingiria Cunha), primeiro a assumir o posto caso o vice-presidente Michel Temer acabe assumindo coma  confirmação do afastamento de Dilma Rousseff.
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-PE) e o deputado federal Chico Alencar (P-Sol-RJ) sentaram lado a lado e não esconderam a satisfação com o resultado. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Miesco Gdynski 05/05/2016 18h40min
Falta agora "afastar" o Temer-ficha-suja, o Anastasia-ciclista de Minas, o Paulinho-da-Fraca, e outros corruptos menos votados, entre eles o deputado que recebia dinheiro do porto de Santos e o ministro sem votos...nEntão TCHAU QUERIDOS!