Porto Alegre, terça-feira, 03 de maio de 2016. Atualizado às 19h09.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
17°C
21°C
11°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5680 3,5700 2,26%
Turismo/SP 3,4500 3,7100 2,20%
Paralelo/SP 3,4500 3,7100 2,20%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Governo Federal 03/05/2016 - 19h09min. Alterada em 03/05 às 19h09min

Temer espera nome do PP ou 'notável' apadrinhado para Ministério da Agricultura

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), aguarda a indicação de um nome do PP para o Ministério da Agricultura. O nome pode ser tanto de um parlamentar, ou de um "notável" do agronegócio, de preferência apadrinhado pelo partido. "Ele (Temer) vai aguardar o PP", resumiu ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, um dos interlocutores de Temer, que deve assumir a Presidência da República já na próxima semana, com o provável afastamento de Dilma Rousseff (PT) pelo Senado durante o processo de investigação para o impeachment da petista.
Com a indicação para a Agricultura, o PP teria dois ministérios, já que o cirurgião paulista Raul Cutait caminha para ser o ministro da Saúde. Cutait é indicação do presidente nacional do PP, o senador e ex-ministro Ciro Nogueira (PI), e causou desconforto na bancada do partido na Câmara. "O PP está dividido de Minas Gerais para cima e para baixo. A Saúde é a indicação da parte de cima", disse uma fonte. Entre os políticos de Estados "abaixo de Minas Gerais" do PP, surgem três nomes para suceder à ministra Kátia Abreu, todos do Rio Grande do Sul: a senadora Ana Amélia, o deputado federal Luiz Carlos Heinze e o ex-ministro da Agricultura Francisco Turra, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).
"Os nomes estão sendo discutidos na bancada e ainda não há nada fechado, já que a prioridade era a escolha para o Ministério da Saúde", admitiu Heinze. A senadora Ana Amélia chegou a ser consultada por representantes do partido e do setor, mas se mostrou desconfortável com a indicação, disse que respeita a ministra Kátia Abreu e que se incomodaria em ser sua sucessora.
Um dos líderes da bancada ruralista e ainda um nome com bom trânsito para pacificar os deputados do PP descontentes com a indicação de Cutait, Heinze teria como ponto desfavorável o fato de ser investigado na Operação Lava Jato. Já Turra seria uma opção tanto política quanto do setor, já que é, há algum tempo, executivo de entidades do agronegócio. O PP pode, no entanto, apadrinhar outro "notável" do agronegócio, sem filiação política.
Outro ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues trabalha nos bastidores, junto às entidades e empresários do setor, para ver seu nome como o indicado de consenso dos ruralistas. O nome de Rodrigues ganhou força como o provável apadrinhado pelo PRB, partido que optou pelo Ministério da Ciência e Tecnologia e que deve indicar o presidente nacional, Marcos Pereira ao cargo.
Representantes de outras entidades ruralistas tentam ainda emplacar o nome do empresário rural João Sampaio, ex-secretário da Agricultura do Estado de São Paulo. Apesar de ter ocupado o posto nos governos tucanos de José Serra e Geraldo Alckmin, Sampaio não é filiado ao PSDB, o que facilitaria o acordo. Mas, para Sampaio aceitar o cargo, o convite para o ministério teria de partir do próprio Temer, o que daria ao ex-secretário paulista poder para escolher sua equipe sem interferência partidária.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Governo vai reformular Sine para fazer repasses diretos a Estados e municípios
Atualmente, o repasse se dá por meio de convênios, que precisam ser renovados periodicamente
STF suspende liberação de crédito extraordinário para publicidade do governo
A liminar de Gilmar Mendes atende a uma ação direta de inconstitucionalidade apresentada pelo Solidariedade
Alckmin diz que PSDB não vai proibir ninguém de assumir cargo no governo Temer
Depois de reunião com Aécio Neves no Palácio dos Bandeirantes, Serra disse que o partido não vai proibir ninguém de aceitar algum cargo no governo Temer
Dilma pretende anunciar reajuste do Bolsa Família no 1º de Maio
O índice do aumento ainda não está fechado, mas, no Palácio do Planalto, auxiliares da presidente dizem que será na faixa de 5%

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo