Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de maio de 2016. Atualizado às 00h32.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Imigração

Notícia da edição impressa de 30/05/2016. Alterada em 29/05 às 22h34min

Mais de 700 mortes em uma semana

Corpos de mortos são retirados de navio da Guarda Costeira

Corpos de mortos em naufrágio são retirados de navio da Guarda Costeira


GIOVANNI ISOLINO/AFP/JC
Cerca de 700 imigrantes, incluindo 40 crianças, podem ter morrido, na semana passada, em naufrágios de embarcações na tentativa de cruzar da Líbia para a Itália, segundo depoimentos de sobreviventes coletados pelo Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) em relatório publicado ontem.
Cerca de 14 mil pessoas foram resgatadas desde segunda-feira, e houve pelo menos três casos confirmados de barcos afundados. Mas o número de mortos só pode ser estimado com base nos testemunhos de sobreviventes, que ainda estão sendo coletados. "Nunca saberemos o número exato, nunca conheceremos sua identidade, mas os sobreviventes nos disseram que há mais de 500 mortos", disse no Twitter após a tragédia de quinta-feira uma porta-voz do Acnur, Carlotta Sami.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia