Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de maio de 2016. Atualizado às 15h05.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

México

09/05/2016 - 15h05min. Alterada em 09/05 às 15h05min

Juiz determina extradição do traficante mexicano "El Chapo" aos Estados Unidos

Um juiz federal determinou a extradição do traficante mexicano Joaquin "El Chapo" Guzmán para os Estados Unidos, uma decisão que ainda precisa ser aprovada pelo Ministério das Relações Exteriores do México.
O juiz considerou que os requisitos legais foram cumpridos no tratado de extradição entre o México e os Estados Unidos, segundo apontou um comunicado do Conselho da Justiça Federal nesta segunda-feira.
O Ministério das Relações Exteriores tem agora 20 dias para determinar se concede a extradição e, em seguida, a defesa de Guzmán ainda pode apresentar uma liminar para tentar barrar a decisão , o que pode atrasar a transferência em semanas ou até meses.
Guzmán, considerado o líder do cartel de Sinaloa, foi transferido de repente no sábado para uma prisão de segurança máxima, onde estava a outra prisão federal, perto da fronteira com os EUA, embora o governo tenha afirmado não fazer parte do processo de extradição, mas sim de obras para reforçar a segurança da prisão em que ele estava.
O advogado de Guzmán, José Refugio Rodriguez, disse à Associated Press que irá tentar evitar a extradição. "Essa é a estratégia legal", disse ele por telefone.
A extradição visa uma segurança maior, já que "El Chapo" fugiu duas vezes da prisões de segurança máxima do México, uma vez em 2001, quando ele fugiu e ficou 10 anos foragido, e em 2015, um ano depois de ter sido recapturado. Em janeiro de 2016, ele foi preso novamente. Fonte: Associated Press.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia