Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de dezembro de 2016. Atualizado às 15h09.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Urbanismo

Notícia da edição impressa de 01/06/2016. Alterada em 27/12 às 16h12min

Revitalização da orla do Guaíba está com 30% das obras concluídas

Trabalhos devem ser finalizados no começo de 2017, se o clima ajudar

Trabalhos devem ser finalizados no começo de 2017, se o clima ajudar


JONATHAN HECKLER/JC
Jessica Gustafson
O afastamento da população de Porto Alegre do lago Guaíba deve ter fim no início de 2017, se as chuvas do inverno não prejudicarem o andamento das obras de revitalização da orla. Do outro lado dos tapumes, 30% da intervenção já foi feita. A primeira etapa, que se refere a fundações em terra e na água, foi concluída.
Em visita realizada ontem ao local, o prefeito José Fortunati reafirmou que a intervenção deve durar mais seis meses. De acordo com ele, o cronograma não se alterou, embora tenham sido necessárias algumas adaptações no projeto. A principal delas, discutida com a equipe do arquiteto Jaime Lerner, em Curitiba, foi a elevação do bar Quase Meia Noite, que ficará bem próximo à Usina do Gasômetro.
"Com a enchente do ano passado, os projetistas chegaram à conclusão de que era preciso elevar a sua altura, porque o bar fica dentro da água. Isso levou a uma mudança no projeto, para a colocação de estacas mais elevadas. Estou saindo muito satisfeito da visita. Tecnicamente, avançamos muito nos últimos 30 dias", afirmou o prefeito. Fortunati destacou que o trabalho está sendo realizado por 90 operários em diversas frentes no trecho de 1,3 quilômetro, entre a Usina e a Rótula das Cuias. Esse é o maior número de trabalhadores desde o início da revitalização.
"Muito provavelmente, até o final do ano, estaremos com a obra praticamente concluída. No início do ano que vem, deve estar realmente pronta, esta é a previsão realista. Como estamos tratando de uma obra complexa, esperamos que o período de chuvas não seja tão intenso. Acreditamos que esse inverno será menos chuvoso do que 2015", ressaltou Fortunati. A praça Júlio Mesquita também já está totalmente cercada. Os trabalhos no local foram iniciados na última semana de maio e têm prazo de término para o final de outubro. Serão construídos um deck de madeira em grande área, uma quadra de futebol, um espelho d'água e um parquinho.
Executada pelo consórcio Orla Mais Alegre, formado pelas empresas Procon, Sadenco e SH Estruturas Metálicas, a intervenção tem custo total de R$ 61 milhões para o trecho. A verba da obra deveria ter sido liberada pela Corporação Andina de Fomento (CAF) no início do ano. Entretanto, somente neste mês, o projeto foi aprovado no Senado Federal. Atualmente, o repasse dos US$ 92 milhões - referentes às fases 1 e 3 da orla, à revitalização da Rua da Praia, aos 100 quilômetros de pavimentação de vias e aos investimentos em tecnologia - depende da análise do Ministério da Fazenda.
"Ontem, conversamos com a Procuradoria da Fazenda e eles estão fazendo a última análise do pedido. Em seguida, isso seguirá ao ministro. O vice-prefeito está indo a Brasília na quinta-feira para fazer um apelo para que a liberação aconteça logo. Dentro de alguns dias, deveremos estar assinando o contrato com a CAF", explicou Fortunati. Feita a assinatura do contrato, imediatamente será liberada a verba, incluindo o investimento de R$ 10 milhões feito até o momento pela prefeitura, com recursos próprios para que a revitalização não parasse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia