Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de maio de 2016. Atualizado às 23h44.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 04/05/2016. Alterada em 03/05 às 23h34min

Vacinas podem terminar hoje em Porto Alegre

Mais de 55,7% do público-alvo já recebeu a imunização na Capital

Mais de 319 mil pessoas já receberam as doses na Capital, representando 54,28% da meta


JONATHAN HECKLER/JC
Jessica Gustafson
A grande procura por vacinas da gripe em Porto Alegre fez com que a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) reduzisse as unidades que aplicam as doses no público-alvo. Na semana passada, 109 postos disponibilizavam a imunização. Ontem, apenas 11 tinham vacinas.
Até o momento, 327 mil pessoas já receberam as doses, representando 55,7% da meta prevista na cidade. De acordo com a coordenadora da Atenção Básica da SMS, Vânia Frantz, 142 postos ficam abertos no sábado, Dia D da campanha. "Vacinamos, em poucos dias, o número de pessoas que tínhamos vacinado em um mês em outros anos. Isso não significa que o público-alvo seja maior do que o previsto, mas que as pessoas procuraram os postos mais rapidamente", explica.
Ontem, o estoque da SMS era de apenas 20 mil doses, distribuídas nas 11 unidades. A escolha dos locais foi no sentido de cobrir todas as regiões. "Optamos por manter a vacinação por região para não precisar ir fechando os locais aos poucos. Acreditamos que, quando acabar, será em todos os 11, mais ou menos ao mesmo tempo. Estamos realizando, durante todo o dia, o controle da situação das doses, transportando vacinas dos pontos com menos procura para os locais com maior demanda", conta. Com isso, existe a possibilidade de as vacinas terminarem hoje.
De acordo com ela, o Ministério da Saúde repassou um primeiro lote para a Secretaria Estadual da Saúde (SES). Agora, o município aguarda a chegada de um novo lote. Segundo a SES, o ministério prometeu entregar, até o final desta semana, mais 380 mil doses ao Estado. No dia 29 de abril, o Rio Grande do Sul já tinha recebido 2,6 milhões de vacinas (70% das doses previstas). "Vale lembrar que a redução dos locais de vacinação não é falta de planejamento. A distribuição das doses sempre é dividida devido ao cuidado necessário com o imunobiológico, que precisa ser armazenado rigorosamente, observando a temperatura. São especialistas na área que organizam o envio", afirma Vânia.
De acordo com ela, a reabertura das outras salas de vacinação dependerá de quantas vacinas serão enviadas para a Capital. Isso ainda não foi informado pela SES. "Não posso assegurar que todo o público-alvo será vacinado até o dia 20 de maio, final da campanha. Isso depende do ministério. No que depende de nós, estamos com estrutura pronta para seguir imunizando como no início", garante.
Na segunda-feira, o Ministério da Saúde garantiu que todo o grupo prioritário será vacinado e que, até o próximo dia 13 de maio, 100% das doses serão entregues aos estados. Informou também que todos os anos recebe a vacina em etapas do laboratório produtor e, à medida que chegam, são distribuídas. Segundo o balanço divulgado ontem, já foram vacinadas 21,3 milhões de pessoas no País, o que significa 43,6% da população prioritária. No Rio Grande do Sul, foram 1.408.258 de imunizados até o momento (55,9%). Até 23 de abril, foram registrados 1.880 casos de influenza no Brasil. Deste total, 1.571 por influenza A (H1N1), sendo 290 óbitos. Em relação às mortes, São Paulo registra o maior número, com 149. No Estado, foram 26 óbitos pela doença, sendo a última confirmada ontem.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia