Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 29 de maio de 2016. Atualizado às 11h52.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Fórmula 1

29/05/2016 - 11h53min. Alterada em 29/05 às 11h53min

Hamilton vence em Mônaco e entra na briga pelo título

Lewis Hamilton comemora sua volta à briga pelo título de 2016

Lewis Hamilton comemora sua volta à briga pelo título de 2016


ANDREJ ISAKOVIC/AFP/JC
O inglês Lewis Hamilton venceu o GP de Mônaco de Fórmula 1 neste domingo (29) e entrou de vez na briga pelo seu quarto título da categoria, que pode ser o terceiro consecutivo. No Circuito de Montecarlo, o piloto da Mercedes teve um dia praticamente perfeito depois de largar na terceira posição, conquistou sua primeira vitória na temporada e ainda viu seus concorrentes diretos terem dia para esquecer.
Companheiro de Hamilton, Nico Rosberg largou na segunda colocação, mas sofreu com problemas no carro, ficou longe da briga pela vitória e terminou na sétima colocação. Já Kimi Raikkonen teve desempenho ainda pior, chocou-se com o muro logo no início da prova e precisou abandonar.
Atrás de Hamilton neste domingo, chegou o australiano Daniel Ricciardo, que largou na pole e ficou à frente durante boa parte da prova, mas foi prejudicado por um erro da Red Bull no pit stop. A terceira posição foi do surpreendente Sergio Pérez, seguido por Sebastian Vettel e por Fernando Alonso, que conquistou seu melhor resultado em 2016.
O brasileiro Felipe Massa foi o décimo e segue tendo pontuado em todas as corridas da temporada. Já Felipe Nasr teve mais uma prova para ser esquecida, bateu em seu companheiro Marcus Ericsson e precisou abandonar.
Com a vitória deste domingo, Hamilton chegou a 82 pontos e assumiu a segunda colocação do Mundial de Pilotos. A liderança continua nas mãos de seu companheiro, Rosberg, que chegou a 106. O terceiro colocado é Ricciardo, com 66 pontos. Hamilton, aliás, foi o primeiro piloto desde 2008 a vencer em dia de chuva em Mônaco depois de largar atrás da primeira fila. Naquele ano, ele mesmo conseguiu o feito.
A PROVA - A forte chuva que caiu em Montecarlo seria um fator determinante para a prova, e já no início interferiu no desenrolar da corrida. Por conta dela, a largada aconteceu com o Safety Car na pista. E ele se manteve nas primeiras voltas, o que tirou a emoção do início.
Mas mal o carro de segurança deixou o circuito, começaram os acidentes. Primeiro, foi Joleon Palmer que bateu no muro. Pouco depois, Raikkonen seguiu o mesmo caminho viu o bico de seu carro quebrar e também precisou abandonar. Novamente, o Safety Car, desta vez virtual, voltou a aparecer, como aconteceria em diversas oportunidades no decorrer da prova.
Quem parecia não se incomodar com a chuva era Lewis Hamilton. Na 16.ª volta, o inglês não teve qualquer dificuldade para ultrapassar seu companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, para assumir a segunda colocação. O alemão, aliás, dava demonstração de estar com algum problema no carro e perderia espaço entre os primeiros colocados.
Só que bem atrás deste primeiro pelotão, os acidentes seguiam acontecendo. Mais seis voltas, e outros dois pilotos precisaram deixar a pista após se chocarem: Daniil Kvyat e Kevin Magnussen. Na ponta, Daniel Ricciardo seguia tranquilo, mas isso até a parada no pit stop. Quando a corrida estava praticamente na metade, Hamilton se aproveitou de um bom trabalho da Mercedes quando parou, viu a Red Bull errar e demorar demais com Ricciardo e ficou à frente do australiano.
Com pneus ultramacios, Hamilton era mais lento do que Ricciardo, que tinha compostos supermacios. Havia, até, o risco de o inglês ter que parar uma vez a mais, o que comprometeria toda sua estratégia. Mas em Mônaco, as ultrapassagens são extremamente difíceis, e Ricciardo sofreu com isso. Na 37.ª volta, tentou uma manobra para cima do inglês, que fechou o caminho e impediu. O australiano reclamou bastante e a direção da prova chegou a investigar o ocorrido, mas optou por não punir o inglês.
O piloto da Mercedes também contou com a sorte, porque os acidentes seguiam acontecendo e resultando em Safety Cars virtuais. Vencedor da última etapa, na Espanha, Max Verstappen exagerou na velocidade, bateu pela terceira vez no fim de semana e abandonou.
Quem também precisou deixar a pista foi o brasileiro Felipe Nasr. Na 50.ª volta, a Sauber mandou o piloto ceder espaço para seu companheiro, Marcus Ericsson, mas o sueco tentou a ultrapassagem em um momento inadequado, os dois se tocaram e tiveram que ir para os boxes.
O dia, aliás, não foi dos melhores para os brasileiros. Também bem longe das primeiras posições, Felipe Massa teve que se contentar com a décima colocação, obtida após ultrapassagem sobre Esteban Gutiérrez, que ao menos o deixou na zona de pontuação.
Com a prova se aproximando do fim, Ricciardo foi perdendo força, enquanto Hamilton parecia cada vez mais rápido. A última saída do Safety Car virtual ainda permitiu ao australiano uma última tentativa de buscar a vitória, mas o inglês controlou bem e cruzou a linha de chegada em primeiro.

Resultado final do GP de Mônaco

  • 1º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), em 1h59min29s133
  • 2º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 7s252
  • 3º - Sergio Pérez (MEX/Force India), a 13s825
  • 4º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 15s846
  • 5º - Fernando Alonso (ESP/McLaren), a 85s076
  • 6º - Nico Hülkenberg (ALE/Force India), 92s999
  • 7º - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 93s290
  • 8º - Carlos Sainz Jr (ESP/Toro Rosso), a uma volta
  • 9º - Jenson Button (ING/McLaren), a uma volta
  • 10º - Felipe Massa (BRA/Williams), a uma volta
  • 11º - Valtteri Bottas (FIN/Williams), a uma volta
  • 12º - Esteban Gutierrez (MEX/Haas), a uma volta
  • 13º - Romain Grosjean (FRA/Haas), a duas voltas
  • 14º - Pascal Wehrlein (ALE/Manor), a duas voltas
  • 15º - Rio Haryanto (IND/Manor), a quatro voltas

NÃO COMPLETARAM

  • Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)
  • Jolyon Palmer (ING/Renault)
  • Kevin Magnussen (DIN/Renault)
  • Max Verstappen (HOL/Red Bull)
  • Marcus Ericsson (SUE/Sauber)
  • Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia