Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de maio de 2016. Atualizado às 15h44.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Libertadores da América

Notícia da edição impressa de 06/05/2016. Alterada em 06/05 às 00h12min

Grêmio: fiasco e eliminação na Argentina

Derrota definiu a terceira eliminação gremista em quatro meses

Derrota no gigante de Arroyto definiu a terceira eliminação em quatro meses


JUAN MABROMATA/AFP/JC
A tarefa era ingrata. Restava ao torcedor do Grêmio acreditar no espírito copeiro, na imortalidade e na tradicional garra tão admirada em outros elencos tricolores. No entanto, o que se viu no estádio Gigante de Arroyto foi uma equipe apática, sem brio e sem nenhum ímpeto em buscar a reversão do resultado. Moral da história: o Grêmio foi goleado por 3 a 0 pelo Rosario Central, deu adeus à Copa Libertadores da América e passou o primeiro semestre sem nada, somando quedas na Primeira Liga, no Gauchão, e no torneio continental.
Cair nas oitavas de final da Copa Libertadores se tornou uma rotina desde 2009 no torneio continental, quando foi eliminado pelo Cruzeiro nas semifinais. Em 2011, o time comandado pelo ídolo Renato Portaluppi foi derrotado pelos chilenos do Universidad Católica. Dois anos depois, foi a vez do professor Vanderlei Luxemburgo dar adeus diante do Sante Fe, da Colômbia. Em 2014, Enderson Moreira também parou nas oitavas, desta vez, diante dos argentinos do San Lorenzo.
A queda nesta quinta-feira foi particularmente dolorosa para o torcedor em razão das atuações apáticas do time. Os comandados de Roger Machado sequer marcaram um gol nos dois confrontos diante dos argentinos. Embalados pelo espírito milagroso, a desclassificação começou cedo. Logo aos quatro minutos, Montoya partiu pela direita e lançou o carrasco do jogo de ida. No primeiro poste, Marco Ruben se antecipou aos zagueiros e desviou para as redes. Marcelo Grohe ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar o primeiro gol.
O Grêmio respondeu aos 18 minutos. Após cruzamento de Ramiro, Giuliano cabeceou, obrigando Sosa a espalmar para escanteio. Porém, a reação dos visitantes recebeu uma ducha de água fria cinco minutos depois. Cervi invadiu a área e foi derrubado por Marcelo Hermes. Pênalti para o Rosario. Na cobrança, Marco Ruben marcou o segundo no jogo, terceiro nos dois confrontos.
Roger tentou mudar o time no intervalo. Sacou o experiente Douglas e colocou o veloz Pedro Rocha. A mudança não surtiu nenhum efeito e, aos 12 minutos, os donos da casa acabaram com qualquer esperança de que a equipe promovesse um feito milagroso em Rosario. Cervi cobrou escanteio na entrada da área e Donatti, em mais uma falha defensiva gremista em bola aérea, nem precisou subir para cabecear e marcar o terceiro.
Para dizer que o Grêmio não tentou atacar na etapa final, aos 32 minutos, Maicon tabelou com Bobô, invadiu a área e parou em uma boa intervenção de Sosa. Restou ao Rosario seguir controlando a partida, tocar a bola e esperar o fim do jogo ao som dos gritos de "olé" da efusiva torcida argentina. Ao Grêmio, o apito final soou como um alívio que colocou fim ao sonho do tricampeonato e sepultou a terceira eliminação em quatro meses. O adversário do Rosario nas quartas de final será o Atlético Nacional, da Colômbia. 
Rosario Central 3 x 0 Grêmio
  Sebastián Sosa; Víctor Salazar, Alejandro Donatti, Esteban Burgos e Javier Pinola; Montoya (Pablo Álvarez) Damián Musto (Gil Romero), José Fernández e Franco Cervi; Germán Herrera e Marco Ruben (Lo Celso). Técnico: Eduardo Coudet.
Marcelo Grohe; Ramiro, Pedro Geromel, Fred e Marcelo Hermes; Walace, Maicon, Giuliano e Douglas (Pedro Rocha); Luan e Miller Bolaños (Bobô). Técnico: Roger Machado.
Árbitro: Enrique Cáceres (Fifa/Paraguai)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 06/05/2016 15h32min
O GRÊMIO NÃO APRENDEU A ORAR COM O ROSÁRIO !!! O time do Rosário Central não teve pena para sacramentar logo a já esperada extrema unção do Grêmio, que há dias já estava agoniando na UTI e aos 4 minutos começou a missa. Precisando reverter o resultado da partida anterior os GREMISTAS não viram a cor da bola, e tiveram que voltar para casa humilhados para chorar junto com os outros Brasileiros já eliminados da LBA 2016. Mesmo que o estádio estivesse lotado de Argentino, tudo poderia acontecer para ambas às equipes, mas o time do GRÊMIO jogou a toalha no jogo anterior quando já tinha perdido por 1x0 e os 3x0 foram para tapar o CAIXÃO. Pelo fato dos dirigentes, treinador, jogadores, torcedores ficarem entristecidos por mais este vexame, é com pesar, mas oraremos para seus prontos regressos emocionais para montar um novo time e bola pra frente... Informaremos local e horário aos senhores torcedores e secadores para a missa do 7º dia. Abs. Dorian Bueno Google +, POA 06.05.2016n
Nevile Almeida Przybylski 06/05/2016 10h25min
Depois de ter sofrido uma derrota em Poa, onde não viu a cor da bola, cujos jogadores saíram de campo atordoados, o que poderia se esperar do jogo no campo do adversário argentino. Acho que 3 x 0 não é fiasco, o Grêmio já havia levado 3 gols no campeonato gaúcho. Contra os argentinos, numa disputa maior como a Libertadores, mostra apenas a distância do futebol praticado aqui e nos outros países.n