Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de maio de 2016. Atualizado às 22h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 31/05/2016. Alterada em 30/05 às 22h53min

Confiança do consumidor é a maior desde janeiro de 2015

Expectativa para compras de bens de maior valor foi o único item a registrar retração

Expectativa para compras de bens de menor valor foi o único item da pesquisa a apresentar retração


JONATHAN HECKLER/JC
A confiança do consumidor apresentou uma melhora significativa em maio, segundo pesquisa divulgada ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). No mês, o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) registrou 105,2 pontos, um aumento de 7,9% em relação a abril, atingindo o maior valor desde janeiro de 2015. Apesar da melhora, o indicador ainda está 3,6% abaixo da média histórica, o que inibe uma recuperação mais forte do consumo no momento.
O crescimento do Inec foi puxado, principalmente, pela melhora nas expectativas dos consumidores em relação à inflação, ao emprego e à renda nos próximos seis meses. O índice de expectativa da inflação cresceu 23,2% em maio na comparação com abril, o que representa significativa melhora da percepção dos brasileiros sobre a evolução dos preços. O indicador que mede expectativa sobre desemprego teve alta de 15,2% no período, sinalizando aumento no número de pessoas que preveem manutenção dos empregos. O índice que mede as perspectivas em relação à renda pessoal cresceu 9,8% em maio.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia