Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de maio de 2016. Atualizado às 20h06.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

19/05/2016 - 20h06min. Alterada em 19/05 às 20h06min

Dólar avança ante o euro mas cai ante iene, em mais um dia de foco no Fed

O dólar avançou ante o euro nesta quinta-feira (19), mas não teve sinal único ante outras divisas, mesmo após aumentar a perspectiva de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) eleve os juros em breve nos Estados Unidos.
Na quarta-feira, a ata da última reunião do Fed reforçou a possibilidade de que os juros possam subir logo, o que impulsionou o dólar em geral. Nesta quinta-feira, alguns discursos de dirigentes do BC norte-americano voltaram a apontar para esse caminho, mas o movimento da moeda não foi generalizado.
Perto do fechamento em Nova Iorque, o dólar caía a 109,94 ienes, enquanto o euro tinha queda para US$ 1,1205.
O presidente do Fed de Nova York, William Dudley, afirmou que, caso a economia norte-americana atinja suas expectativas, uma alta de juros em meados do ano é provável. A ata de ontem já havia mostrado que, na avaliação dos dirigentes do Fed, o mercado não estava avaliando como deveria a chance de um aperto na política monetária em breve no país, o que levou a um movimento geral de readequação nos mercados.
Taxas de juros maiores tendem a valorizar o dólar, já que torna a moeda mais atraente para os investidores em busca de retornos.
Para o estrategista de câmbio Daniel Katzive, do BNP Paribas, porém, o Fed pode não ser capaz de elevar os juros no próximo mês. A ata mostrou que alguns dirigentes ainda se mostram preocupados com os riscos econômicos globais e também com o fato de que o Reino Unido terá em junho uma votação popular para decidir se o país continua ou deixa a União Europeia, o que também gera cautela.
Os futuros dos Fed funds, usados por investidores e operadores para apostas na política monetária do Fed, apontam para uma chance de 32% de uma elevação dos juros na reunião de junho, segundo dados do CME Group.
Nesta quinta-feira, dados do Departamento do Trabalho mostraram que o número de trabalhadores norte-americanos que buscam benefícios de seguro-desemprego caiu na última semana, em mais um sinal positivo para o mercado de trabalho do país.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia