Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de maio de 2016. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Notícia da edição impressa de 17/05/2016. Alterada em 16/05 às 22h40min

Restam dúvidas sobre o tamanho do déficit fiscal de 2016, diz Jucá

União focará no corte de despesas, afirmou ministro do Planejamento

13/05/2016- Brasília- DF, Brasil- O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Romero Jucá durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.


JOSÉ CRUZ/ABR/JC
O ministro do Planejamento, Romero Jucá, disse ontem que a proposta de meta fiscal do governo para este ano não está fechada em razão de questões ainda não definidas pelo governo. As principais dúvidas são o impacto da renegociação da dívida dos estados com a União e o prejuízo decorrente de eventual deslistagem da Eletrobras na Bolsa de Nova Iorque.
Ainda assim, o ministro disse que o governo quer levar a proposta à votação pelo Legislativo até domingo, data-limite para que o governo não precise fazer um novo contingenciamento. "Acredito que é possível votar ainda nesta semana", afirmou. Segundo ele, a proposta pode ir à votação direto para o plenário. Basta uma convocação do Congresso Nacional pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). "Ainda estamos conversando e vamos fazer reuniões para fechar a meta", afirmou.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia