Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de maio de 2016. Atualizado às 18h02.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

05/05/2016 - 18h02min. Alterada em 05/05 às 18h02min

Bolsas fecham perto da estabilidade em Nova Iorque com petróleo e expectativa com payroll

As bolsas de Nova Iorque fecharam perto da estabilidade, depois de o avanço do petróleo perder força no fim da sessão. O viés negativo também foi alimentado pela cautela antes do relatório mensal do governo dos EUA sobre o mercado de trabalho do país, conhecido como payroll, que será divulgado amanhã.
O índice Dow Jones subiu 9,45 pontos (0,05%) e fechou aos 17.660,71 pontos. Já o Nasdaq caiu 8,55 pontos (0,18%), para 4.717,09 pontos, e o S&P 500 perdeu 0,49 ponto (0,02%), para 2.050,63 pontos.
As ações foram sustentadas durante boa parte da sessão pelo aumento dos preços do petróleo, que chegou a mais de 5%. Incêndios no Canadá colocaram a produção do país sob risco nos últimos dias, o que sustenta os preços. No entanto, no fim da sessão os ganhos da commodity diminuíram para ao redor de 1%.
"Não há nada de bom hoje, a não ser o fato de os preços do petróleo terem subido" comentou Ilya Feygin, diretor-gerente da corretora WallachBeth. "A convicção em qualquer coisa está muito baixa", disse David Hussey, diretor-gerente da Manulife Asset Management.
Ações de empresas de consumo discricionário lideraram as quedas. L. Brands, dona da marca Victoria's Secret, recuou 12% depois de anunciar crescimento menor que o previsto nas vendas. Por outro lado, a Kraft Heinz, que após o fechamento ontem publicou resultados trimestrais melhores que o esperado, subiu 3,7%.
No campo macroeconômico, dados dos EUA e globais ruins aumentaram as preocupações com a saúde da economia mundial. O número de norte-americanos que pediram auxílio-desemprego nos EUA na última semana subiu para 274 mil, o patamar mais alto em cinco semanas, embora tenha continuado em um nível baixo em termos históricos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia