Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de maio de 2016. Atualizado às 16h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

04/05/2016 - 16h58min. Alterada em 04/05 às 16h58min

PIB da Argentina cairá 1,5% em 2016 e inflação ficará acima de 30%, diz Moody's

A economia da Argentina deve contrair 1,5% este ano e a inflação ficará acima dos 30%, afirmou hoje a agência de classificação de risco Moody's.
Em relatório, a Moody's afirmou que o retorno da Argentina aos mercados de capitais internacionais é um feito significativo do governo do presidente Mauricio Macri. No entanto, maiores esforços para a correção dos desequilíbrios macroeconômicos serão necessários para que a perspectiva da nota de crédito do país apresente alguma melhora.
"Esperamos que a nova abordagem do governo argentino não irá mostrar resultados positivos até o começo do próximo ano', afirmou, em nota, o analista da Moody's, Gabriel Torres.
A agência de rating acredita também que a recessão econômica deste ano irá criar desafios de curto prazo para consumidores, empresas e o governo. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia