Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de maio de 2016. Atualizado às 14h37.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

04/05/2016 - 14h37min. Alterada em 04/05 às 14h37min

Bolsas europeias fecham em queda, pressionadas por balanços ruins e mineradoras

Os principais índices acionários da Europa fecharam em queda pela quarta sessão consecutiva nesta quarta-feira, 4, pressionados pela divulgação de resultados trimestrais ruins e pelo desempenho negativo das ações de mineradoras. Como resultado, o índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 1,12%, aos 331,80 pontos.
Os balanços ruins e preocupações com o ritmo de crescimento global ampliaram a aversão ao risco hoje. Para Jasper Lawler, analista da CMC Markets, esses temores "podem minar a volta da confiança do investidor em ações".
O tombo de hoje ficou por conta principalmente do noticiário corporativo. No Reino Unido, a Shell (-2,54%) divulgou queda de 83% no lucro líquido no primeiro trimestre, enquanto a rede de supermercados Sainsbury (-6,27%) reportou recuo de 13,8% no mesmo indicador. Na França, o índice CAC-40 caiu 1,09%, na esteira da divulgação de balanços como o da Air France-KLM (-4,34%), que teve prejuízo líquido de 155 milhões de euros nos três primeiros meses do ano.
Na Bélgica, as ações da Anheuser-Busch Inbev (AB Inbev) recuaram 1,57% após a companhia relatar queda de 10% no volume de cerveja vendida no período. A queda foi liderada pela contração do mercado brasileiro. E na Alemanha, os papéis da Dialog Semiconductor, que fornece suprimentos à Apple, caíram 8,6% após a divulgação de que o lucro líquido caiu 58%. O desempenho ajudou o índice DAX da bolsa de Frankfurt a fechar em queda de 0,99%.
O sentimento geral do investidor também foi afetado pelo desempenho negativo das mineradoras. As ações da BHP Billiton tombaram 5,77% após a notícia de que o Ministério Público Federal brasileiro vai pedir R$ 155 bilhões como compensação pelo rompimento da barragem da Samarco em Mariana, Minas Gerais. A mineradora britânica é dona de metade da brasileira. Já a Glencore teve tombo de 3,17% após relatar a queda na produção de cobre e zinco no primeiro trimestre. Pressionado por esses resultados, o índice FTSE-100 fechou em queda de 1,19%, aos 6.112,02 pontos.
Em Milão, o índice FTSE-Mib fechou em queda de 0,17%, aos 17.935,67 pontos. Em Madri, o Ibex-35 caiu 1,26%, aos 8.654,30 pontos. E em Lisboa, o PSI-20 destoou dos demais e fechou com leve alta de 0,18%, aos 5.011,73 pontos. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia