Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de maio de 2016. Atualizado às 10h22.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 12/05/2016. Alterada em 11/05 às 19h49min

Golpe

Passados 62 anos, as conjunturas de 2016 e de 1954 têm grandes semelhanças. Os campos que se digladiam são os mesmos. De um lado, os defensores do progresso social, do desenvolvimento econômico e da soberania nacional. Do outro lado, as mesmas forças antidemocráticas, antipopulares e antinacionais da direita brasileira, subordinada ao imperialismo. Personagens semelhantes se envolvem na conspiração golpista. Vices que não cumprem a esperada lealdade para com os titulares do cargo; uma imprensa golpista potencializada agora pelas redes de rádio e televisão, além da mídia impressa tradicional; personagens do aparelho de Estado, como o inefável ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e parcela importante do Judiciário, da Polícia e do Ministério Público. Que fomentaram, agora, o golpe midiático-judicial. E esta é uma diferença importante nas duas conjunturas. Não há, talvez, na história republicana, outro momento que se compare à instabilidade hoje vivida pelo Brasil senão aquele em que a direita tramou para depor Getulio Vargas e ocupar seu lugar, e levou ao desfecho trágico de 24 de agosto de 1954, o suicídio do presidente. Há 62 anos, a força das armas era real e concreta; havia soldados, fuzis, tanques de guerra envolvidos na disputa política. Hoje, a força não é direta, embora tão real quanto aquela. Ontem, a direita mobilizou a farda; hoje, mobiliza a toga. Ontem, o Brasil teve um general Teixeira Lott que salvou a legalidade. Haverá um general Lott togado em 2016? (José Carlos Ruy)
Movimentos sociais
Bloquear rodovias com meia dúzia de pessoas está errado. Aliás, estranho que os movimentos sociais só usem bandeiras vermelhas. O Brasil não tem uma bandeira, verde-amarela, azul e branca, há mais de 100 anos? Ela veio com a Proclamação da República, lá em 1889. Eles querem, com o vermelho, ser identificados com outros países, como Rússia, Coreia do Norte e Cuba? Se querem, este é um dos motivos pelos quais muitos brasileiros criticam estes movimentos sociais. (Marcos Vidal, Guaíba/RS)
Impeachment
Estava muito fácil para ser verdade. Um deputado Waldir Maranhão (PP-MA) das hostes de um partido de direita, engajado no golpe, logo se viu pressionado pelo mesmo e demais partidos reacionários. Jamais poderia levar avante tal decisão, como a de anular a vergonhosa, grotesca e dantesca votação na Câmara dos Deputados no dia 17 de abril de 2016. É preciso ter moral e muita coragem para enfrentar os entreguistas que infestam a Câmara e o Senado. (Giovanni G. Vieira)
Exemplo
Que exemplo deu o deputado Waldir Maranhão, presidente interino da Câmara Federal, pois o filho dele, médico, era assessor fantasma no gabinete do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE). Estava há muito tempo trabalhando particularmente em São Paulo. (Isabel Fortuna, Porto Alegre)
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 12/05/2016 09h55min
BAH TCHÊ, SER PRESIDENTE NÃO É FÁCIL, AINDA MAIS VICE !!! Caso o presidente Vitório Piffero também sofresse nesta semana um processo de Impeachment parecido com a presidente Dilma Rousseff, qual seria a reação do povo COLORADO? Penso que os principais motivos seriam o de vender jogadores baratos e somente estar vencendo times aqui da terrinha. Eu sei que para eu ser presidente do INTERNACIONAL, além de não poder cair de para quedas lá no Beira-Rio, teria que primeiro ser um sócio ativo, carismático, simpático, conhecedor de FUTEBOL e amigo de todos os torcedores. Quem sabe precisaria ter um histórico de serviços prestados com grande relevância, fazer alguns conchavos entre os conselheiros antigos e existentes para provar para eles que eu poderei ser muito melhor do que o Vitório Piffero que somente tem vencido o GAUCHÃO. Mesmo que eu seja apenas um ABENÇOADO POETA, SONHADOR e sem nenhum patrocínio da FGF, GLOBO, RBS, BAND, RECORD, SBT, REDETV, CULTURA, SPORT TV, ESPN, FOX, etc., confesso com toda sinceridade que a minha maior dificuldade seria montar a minha verdadeira equipe de trabalho. Pois com certeza não levaria muitos catedráticos das RÁDIOS, JORNAIS, TV, BLOGS que me aturam por ai, pelo fato de entenderem mais de CORNETAS, SAGANAGENS, HUMORISMO do que futebol dentro do campo. Lógico que caso se comprometessem com a minha plataforma, iriam sentir o que é trabalhar na linha de tiro, deixando esta vidinha de cornetas através dos seus CODINOMES BEIJA-FLOR, computadores e celulares, porque comigo não haverá arrego será muito trabalho sem ZONINHA DE CONFORTO e PLAYSTATION. Já vou adiantando que caso a minha GESTÃO consiga fazer o INTERNACIONAL novamente CAMPEÃO além do Rio Grande, jamais vou querer ser presidente do Brasil e ainda ter que ficar levando nas costas todos os ex-jogadores dos partidos do passado, já que isto é muito ruim. Mas para o bem geral da NAÇÃO do nosso querido INTERNACIONAL, aceitaria ter mais um mandato para ser HEPTA CAMPEÃO GAÚCHO 2017. Abs. Dorian Bueno, Google +, 24.517 Acessos em 8 meses, Graças a Deus, POA, 12.05.2016n n n