Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 08 de maio de 2016. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Panorama

COMENTAR | CORRIGIR

ACONTECE

Notícia da edição impressa de 09/05/2016. Alterada em 06/05 às 18h33min

Do abstracionismoao figurativo

Rosa Lops Susin expõe telas na Galeria Paulo Capelari

Obra de Rosa Lops Susin


FERNANDO ENGLERT/DIVULGAÇÃO/JC
As individuais Fragmentos da cor, de Maria da Graça Jucá, e Etnias, de Rosa Lops Susin, inauguram hoje, das 19h às 22h, na Galeria de Arte Paulo Capelari (Cel. Bordini, 665). Apesar de diferenciadas em suas propostas, as artistas guardam semelhanças, como o apreço por cores fortes, pelo rigor formal e pela temática social como mote. Ambas trabalham em acrílico sobre tela, mas percorrem caminhos distintos na pintura. Enquanto Maria da Graça pende para o abstracionismo, Rosa é mais figurativa.
Maria da Graça apresenta 14 telas, nas quais evidenciam-se a cor, em especial o vermelho, o traçado linear e as veladuras, que provocam um impacto cromático ao observador. Já Rosa está centrada na figura humana, não somente enquanto forma, mas enquanto significado. O que lhe interessa é a relação dialógica que pretende estabelecer com quem aprecia seus quadros. Nas 12 telas que apresenta, há uma expressão dos personagens em busca de um canal de comunicação com o observador.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia