Porto Alegre, quarta-feira, 20 de abril de 2016. Atualizado às 00h22.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
29°C
33°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5270 3,5290 1,91%
Turismo/SP 3,4700 3,7100 0,53%
Paralelo/SP 3,4800 3,7100 0,53%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Crise Política Notícia da edição impressa de 20/04/2016. Alterada em 20/04 às 00h21min

OAB-Rio vai ao Supremo contra o deputado federal Jair Bolsonaro

Na entrevista concedida a correspondentes estrangeiros, no Palácio do Planalto nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff (PT), ao ser questionada por jornalistas sobre as declarações feitas pelo deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) na votação do processo de impeachment, disse ser "lamentável" a homenagem ao torturador da ditadura militar Carlos Alberto Brilhante Ustra, morto em 2015.
Como reação à manifestação de Bolsonaro, o presidente da seccional da OAB no Rio de Janeiro, Felipe Santa Cruz, afirmou, que a seccional recorrerá ao Supremo Tribunal Federal (STF) e, se necessário, à Corte Interamericana de Direitos Humanos, na Costa Rica, para pedir a cassação do mandato do deputado federal. A Ordem entrará também com uma representação no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados para que apreciem o discurso de Bolsonaro no domingo.

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Entidades repudiam atuação de AGU na defesa de Dilma
Seis entidades que representam a Advocacia Pública Federal se posicionaram contra a atuação do advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, na defesa da presidente Dilma
Se Dilma sair, STF poderá tirar Cunha da linha sucessória
Segundo na linha sucessória presidencial, o parlamentar é réu na Lava Jato, o que o impede de assumir o cargo máximo do Poder Executivo
Dilma repete gesto de Collor e desce rampa do Planalto para saudar manifestantes Ministros do STF divergem sobre elaboração de rito com Senado para impeachment
O ministro Gilmar Mendes chegou a ironizar o entendimento entre os dois e afirmou que já há regras para serem executadas

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo