Porto Alegre, segunda-feira, 11 de abril de 2016. Atualizado às 23h40.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
22°C
26°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,4930 3,4950 2,83%
Turismo/SP 3,5200 3,6900 3,14%
Paralelo/SP 3,5200 3,6900 3,14%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Crise Política Notícia da edição impressa de 12/04/2016. Alterada em 11/04 às 23h40min

Discurso de Temer antecipa posição sobre impeachment

FABIO RODRIGUES POZZEBOM/ABR/JC

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) reconheceu ontem que enviou de maneira equivocada áudio no qual antecipou discurso sobre vitória no impeachment, mas disse que, independentemente do que ocorra na votação do próximo domingo, continuará sustentando o mesmo discurso da gravação.
Em rápida entrevista à imprensa, o peemedebista explicou que, a pedido de companheiros do partido, gravou discurso que poderia fazer caso o pedido de afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT) fosse aprovado no plenário da Câmara dos Deputados. Na hora de repassar para um amigo, no entanto, acabou enviando a um grupo de parlamentares peemedebistas.

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Lula: acham que estou incitando a luta de classes; não quero dividir a sociedade
O ex-presidente comparou os movimentos contra a presidente ao Fascismo e ao Nazismo
'Saio como herói', diz relator do impeachment de Dilma Rousseff
O deputado Jovair Arantes (PTB-GO) também rejeitou a alcunha de "golpista"
Resultado na comissão mostra fragilidade da defesa de Dilma, diz Aécio
O senador também pediu serenidade de todas as partes envolvidas neste momento que classificou como "difícil para o País"
Fachin será relator no STF de ação que judicializa impeachment de Dilma
Um mandado de segurança tenta impedir que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), adote regras que prejudiquem o governo durante a votação sobre a denúncia contra a presidente no plenário da Casa

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo