Porto Alegre, segunda-feira, 18 de abril de 2016. Atualizado às 22h30.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
29°C
24°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5960 3,5980 2,04%
Turismo/SP 3,4700 3,7300 1,63%
Paralelo/SP 3,4800 3,7300 1,63%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Artigo Notícia da edição impressa de 19/04/2016. Alterada em 18/04 às 20h19min

PT, por que esta marca vale tanto?

Gilson Omar Fochesato

A interrogação adicionada ao ponto de exclamação reforça simultaneamente dúvida, surpresa, e até descontentamento. O certo é que a criminalização do PT teve efeito inverso e curioso entre a juventude. O PT voltou a ter ares insurgentes. Apesar de todos os escândalos envolvendo pessoas do partido, cresce vertiginosamente o número de filiação ao PT entre o público jovem. Promove um arrastão junto à juventude.
Os problemas atuais da legenda não são ignorados, mas superestimá-los é um equívoco igualmente grave. Sabe-se de suas fraquezas, pois no poder se comportou como os demais partidos, igualou-se em desvios. Por outro lado, fez muito mais que os demais, afinal não é pouca coisa colocar 7,5 milhões de jovens na universidade em 10 anos enquanto que durante 100 anos sequer tínhamos 3 milhões de estudantes, ou seja, em 12 anos foram colocados mais jovens na universidade do que foi conseguido em um século. Enfrentou com firmeza a corporação dos médicos, alocando médicos para mais de 3 mil municípios que assim o necessitavam. Enfim, os avanços foram muitos. Por isso, a marca PT ainda representa o imaginário de uma sigla que atua pelas conquistas sociais, por uma diminuição da desigualdade, pela tentativa harmoniosa de efetuar mudanças sociais. Tudo isto representa sua força.
A ameaça que persegue a sigla, não é o antipetismo inato, pois o mesmo não é de agora, simplesmente aflorou devido a crise econômica (as pessoas simplesmente saíram do armário - anteriormente não tinham coragem de fazê-lo). Tampouco a mídia, já que não é de agora que ela está enraizada na história do Brasil, como golpista. Recordamos, entre outras, a cruzada que levou ao suicídio de Getulio Vargas e de mãos dadas com o golpe civil-militar em 1964. A ameaça é perder tudo o que foi conquistado, é desperdiçar os avanços obtidos, retornando a subserviência pura e simples.
Em contrapartida, tem a oportunidade de refazer-se, corrigir e evitar suas imperfeições. Em suma, sobrevivendo a tanto, desgastada, ela não tira o sonho, o imaginário, em que mostra ser possível avanços econômico-sociais andarem lado a lado.
Especialista em Gestão Empresarial/FVG
COMENTÁRIOS


DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Palavra negada!
A agricultura familiar representa 84% dos estabelecimentos rurais do Brasil
Opinião econômica: Populismo Inovação na geração de energia
As novas regras para microgeração, aprovadas pela Aneel, entraram em vigor no dia 1 de março deste ano e trazem um cenário positivo para esta forma de geração de energia
Apoio a Sérgio Moro
Os petistas afirmam que nunca se investigou tanto. Segundo eles, somente agora o governo permite que se façam as investigações e que o governo do PT não exerce pressão sobre o Judiciário

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo