Porto Alegre, terça-feira, 05 de abril de 2016. Atualizado às 23h44.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
32°C
25°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,6780 3,6800 1,76%
Turismo/SP 3,5800 3,7900 1,06%
Paralelo/SP 3,5800 3,7900 1,06%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Artigo Notícia da edição impressa de 06/04/2016. Alterada em 05/04 às 21h29min

Fim de venda casada em vários setores

Marcelo Moraes

Atendendo a um constante apelo da sociedade, tramita no Legislativo Estadual o Projeto de Lei nº 223/15, de minha autoria, que proíbe definitivamente a "venda casada" de serviços de telefonia, televisão por assinatura, comunicação multimídia, enfim todo o tipo de "venda casada". O projeto foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e agora deverá ser votado em plenário. Diariamente, de uma forma ou outra, somos explorados em clara afronta ao Código de Defesa do Consumidor que proíbe este tipo de transação. O projeto complementa o Código do Consumidor com uma lei estadual definindo "vedado ao fornecedor dos serviços relativos ao serviço telefônico fixo comutado, ao serviço móvel pessoal, à comunicação multimídia e aos serviços de televisão por assinatura, condicionar, obrigar ou induzir o consumidor a adquirir serviços, bens ou equipamentos que não sejam de seu interesse, bem como a não ser compelido a se submeter a qualquer condição salvo diante questão de ordem técnica para recebimento do serviço, no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul".
O Código de Defesa do Consumidor proíbe a venda casada desde 1990, mas os operadores insistirem em praticá-la e o consumidor, sem argumentos, aceita esta imposição. As relações de consumo precisam desta lei estadual para todos os segmentos econômicos, mas, em especial, as telecomunicações. O cliente adquire o que deseja e não o que o operador impõe. Um exemplo frequente é o da internet que tem preço menor quando adquirida em combo, forçando o consumidor, sob pena de pagar preço maior, a levar o pacote inteiro. O projeto que estou apresentando será importante para reduzir a exploração e assegurar os legítimos direitos do consumidor.
Deputado estadual (PTB)
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Opinião econômica: Reconstrução A dignidade da pessoa humana
A dignidade da pessoa humana aparece pela primeira vez em 1934 em nossa Carta Constitucional
Parabéns, Novo Hamburgo
Falar de Novo Hamburgo, para mim, tem um significado especial. Afinal, foi a cidade que, incentivado pelos mais pais, escolhi para viver
Não ao PMDB e também aos fisiologistas
O PMDB de Ulysses Guimarães, aquele que resistiu à ditadura e que, junto com outros movimentos sociais e políticos, abriu caminho até a democratização nos anos 1980, não existe mais

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo