Porto Alegre, sexta-feira, 01 de abril de 2016. Atualizado às 13h58.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
28°C
33°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5490 3,5510 1,27%
Turismo/SP 3,5800 3,7700 0,53%
Paralelo/SP 3,5800 3,7700 0,53%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

grécia 01/04/2016 - 13h58min. Alterada em 01/04 às 13h58min

Situação em centros de refugiados na Grécia pode sair do controle, diz Acnur

Agência Brasil

A agência da ONU para os Refugiados alertou hoje (1º) para a crescente degradação das condições nos centros de detenção de refugiados na Grécia e advertiu que a situação pode sair do controlar, caso não haja uma atuação rápida das autoridades europeias.
"No centro de Moria, em Lesbos, as condições se deterioraram desde 20 de março, quando começaram a reter as pessoas que aguardam uma decisão sobre a sua deportação. Há agora cerca de 2,3 mil pessoas, quando a capacidade é para 2 mil. As pessoas dormem ao relento e a comida é insuficiente", disse a porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), Melissa Fleming.
Em coletiva de imprensa em Genebra, a porta-voz explicou que "a frustração e a ansiedade entre os refugiados são generalizadas", com muitas famílias separadas devido às novas normas.
As normas estabelecidas no acordo entre a União Europeia e a Turquia estabelece que todos os migrantes que cheguem irregularmente à Grécia devem ser reenviados para a Turquia.
Para garantir o respeito à legislação internacional, cada processo deve ser analisado individualmente e, durante o período de avaliação, o candidato a asilo deve ficar em um centro de acolhimento.
"Na ilha de Samos, no centro de acolhimento da cidade Vathy, as condições de recepção também pioraram, a salubridade do local é pobre e a distribuição de comida é caótica", disse Melissa, acrescentando que na ilha de Chios, no centro de Vial, houve confusão na quinta-feira (31) à noite.
Segundo a agência grega ANA, três migrantes foram hospitalizados em Chios, após o tumulto que provocou vários estragos no centro de Vial e levou à intervenção da polícia. Segundo voluntários, a confusão começou depois de um protesto de migrantes que exigiam autorização para sair do campo, um dos cinco hotspots [centros de acolhimento] das ilhas gregas.
Melissa disse que recebeu as informações de funcionários do Acnur no local, apesar de a organização ter anunciado em 22 de março que não vai colaborar com as autoridades europeias no processo de identificação dos candidatos a asilo porque a detenção obrigatória de migrantes é contrária à sua política.
A decisão foi corroborada por várias organizações não-governamentais, entre as quais os Médicos Sem Fronteiras. "É horrível estar ali e não poder ajudar, mas temos de ser coerentes, não podemos colaborar com uma política que é contrária aos nossos princípios", disse Melissa.
Diante da situação, o Acnur voltou hoje a pedir à União Europeia que atue com urgência para, pelo menos, aliviar as necessidades dos migrantes.
"Foi prometida muita ajuda de Bruxelas, mas até o momento as autoridades gregas é que estão agindo, com a capacidade que têm, que não são suficientes", disse a porta-voz. Ela também manifestou preocupação com a lentidão e as dificuldades no processo de registro dos migrantes e refugiados.
"Sem a ajuda urgente e o apoio da União Europeia, a capacidade limitada do serviço de asilo grego para registrar e processar os pedidos vai criar problemas", advertiu.
Fleming alertou também para a situação "péssima" nos 30 locais da Grécia continental onde estão concentrados os refugiados que chegaram ao país antes de 20 de março. "Nas atuais circunstâncias, o risco de haver vítimas nesses locais é real", disse.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Setor agrícola e ferry boats param na Grécia contra reforma na previdência
Sindicatos que representam praticamente todos os setores de atividade econômica se opõem fortemente às reformas
Em três dias, mais de 200 imigrantes são resgatados
União entre casais do mesmo sexo é aprovada; regra tem restrições
Em ato simbólico, Parlamento vota pelo reconhecimento do Estado palestino

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo