Porto Alegre, quarta-feira, 27 de abril de 2016. Atualizado às 22h57.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
11°C
17°C
5°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5190 3,5210 0,02%
Turismo/SP 3,4500 3,6300 0%
Paralelo/SP 3,4500 3,6300 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

manifestações 27/04/2016 - 22h57min. Alterada em 27/04 às 22h57min

Protestos contra o impeachment devem ocorrer até a votação no Senado

Agência Brasil

Apoiadores da presidenta Dilma Rousseff preparam mobilizações em todo o país contra o impeachment, classificado por eles de golpe, e prometem não aceitar retrocessos caso o vice-presidente Michel Temer assuma o governo.
Na última segunda-feira (25), a presidenta se reuniu com representantes da Frente Brasil Popular e do Povo sem Medo, grupos de movimentos sociais que se organizaram contra o afastamento dela e a retirada de direitos.
Os militantes disseram à Dilma que a proposta de convocar novas eleições para garantir sua "saída honrosa" da Presidência da República pode ser uma saída para o futuro, mas significaria "jogar a toalha" se fosse defendida agora. Segundo relatos de participantes da conversa, a presidenta apenas ouviu as sugestões e não se manifestou sobre o assunto.
No próximo domingo (1), Dia do Trabalho, as organizações estão convocando atos em diversas cidades brasileiras. Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva são esperados em uma das manifestações, em São Paulo.
Por enquanto, a pauta é "defender a democracia, condenar o golpe" e manter o discurso de que é possível barrar o impeachment no Senado. Até o dia 12 de maio, os senadores devem analisar se aprovam a abertura do processo, mas a derrota já é dada como certa no Palácio do Planalto e entre governistas.
Antes do 1º de Maio, outros eventos em defesa de Dilma devem ocorrer, como o Dia Nacional de Paralisação das Escolas e Universidades, convocado pela União Nacional dos Estudantes para amanhã (28).
Também nesta quinta-feira, Dilma receberá senadores que estão juntando assinaturas para uma proposta de emenda à Constituição que propõe novas eleições presidenciais este ano, com um mandato tampão de dois anos para o eleito. O grupo quer que o governo encampe o projeto, mas até o momento a avaliação do Planalto é de que, por enquanto, a proposta deve ser tratada apenas no âmbito do Congresso.
Hoje (26) de manhã, Lula e o ministro-chefe do gabinete da Presidência, Jaques Wagner, se reuniram na casa da senadora Lídice da Mata (PSB-PB) com o grupo de senadores para discutir o assunto. Para interlocutores do Palácio do Planalto, porém, a proposta de novas eleições "precisa ainda se solidificar".
Governo Temer
O deputado Zé Geraldo (PT-PA), um dos parlamentares que articula com os movimentos sociais o apoio à Dilma, disse que o momento é de "combater o golpe", mas adiantou que os governistas não vão aceitar um eventual governo Temer.
Segundo Geraldo, "muita água vai rolar" entre o possível afastamento de Dilma pelo Senado e o seu efetivo julgamento, e acredita que a população vai se voltar contra o impeachment nesse meio tempo.
"A toalha não foi jogada ainda. Sabemos que estamos em desvantagem, mas a aprovação do impeachment da Câmara colocou muitos brasileiros a refletir, a partir do que aconteceu. A gente entende que o processo vai ser admitido no dia 11 no Senado. Mas entre admitir e julgar, aí temos um tempo ainda", analisou.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Manifestantes pró-Dilma fazem protesto na Paulista
O protesto "Não Vai Ter Golpe" foi convocado pelas redes sociais para às 17h em frente ao Masp
Polícia usará força para desbloquear ruas

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo