Porto Alegre, quinta-feira, 28 de abril de 2016. Atualizado às 00h29.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
10°C
17°C
5°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5190 3,5210 0,02%
Turismo/SP 3,4500 3,6300 0%
Paralelo/SP 3,4500 3,6300 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Trabalho Notícia da edição impressa de 28/04/2016. Alterada em 27/04 às 17h55min

Desemprego na região Metropolitana de Porto Alegre chega a 10,7% em março

CLAITON DORNELLES/JC
Total de desempregados chegou a 198 mil em março

O desemprego na região Metropolitana de Porto Alegre aumentou no mês de março, passando a atingir 10,7% da População Economicamente Ativa (PEA), ou 198 mil pessoas. Em fevereiro, a taxa havia ficado em 10,1%. Os dados foram apresentados ontem, em pesquisa realizada pela FEE, Dieese e FGTAS.
O aumento no número total de desempregados no mês, de acordo com a pesquisa, se deve ao fechamento de 2 mil postos de trabalho e do ingresso de 10 mil pessoas no mercado de trabalho à procura de emprego, explicou a economista Iracema Castelo Branco, coordenadora do Núcleo de Análise Socioeconômica e Estatística da FEE.
O ingresso de pessoas no mercado de trabalho pode estar relacionado com o contingente de pessoas que está no final do seguro desemprego e retorna na busca por trabalho. “Os últimos meses registraram a saída de pessoas do mercado de trabalho, o que estava relacionado com a aposentadoria e também com as pessoas que estavam sendo demitidas e não estavam procurando trabalho num primeiro momento. Em março, o incremento da PEA pode estar vinculado com as pessoas que foram demitidas um tempo atrás e que agora passam a procurar emprego novamente”, analisa Iracema.
A pesquisa mostrou ainda que em março o nível ocupacional se manteve estável, registrando redução de 9 mil ocupados na construção e aumento de 4 mil tanto no comércio quanto no setor de serviços. O nível ocupacional na indústria de transformação permaneceu estável.
Na comparação com março do ano passado, o setor privado reduziu 100 mil postos de trabalho com carteira assinada. Já o setor público diminuiu o número de pessoas ocupadas em 25 mil. 
O rendimento médio real referente ao mês de fevereiro de 2016 apresentou redução para o total de ocupados (-1,9%), para assalariados (-2,5%) e para trabalhadores autônomos (-1,8%). Os salários já acumulam redução de 13,1% no comparativo de 12 meses. A economista Iracema Castelo Branco avalia que a redução de salários pode ser explicada por uma possível rotatividade nos locais de trabalho. “Algumas empresas demitem os trabalhadores com salários mais altos e contratam outros com salário inferior”, argumenta.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Encaminhamento da carteira de trabalho é suspenso em 34 cidades
Domésticas tiveram aumento real de 4,6% nos salários em 2015
A inflação, das empregadas domésticas cresceu 4,6% em 2015, na comparação com 2014
Emprego doméstico cresce na Região Metropolitana de Porto Alegre Estado liderou saldo positivo de vagas formais

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo