Porto Alegre, terça-feira, 19 de abril de 2016. Atualizado às 17h19.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
34°C
33°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5280 3,5300 1,88%
Turismo/SP 3,4700 3,7100 0,53%
Paralelo/SP 3,4800 3,7100 0,53%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Tributos 19/04/2016 - 16h47min. Alterada em 19/04 às 17h19min

Arrecadação cai 7% em março e soma R$ 95,779 bilhões, revela Receita Federal

Em meio ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e com a queda da atividade econômica, a arrecadação de tributos pela Receita Federal registrou queda no terceiro mês do ano. Dados divulgados pelo fisco mostram que o recolhimento de impostos e contribuições federais somou R$ 95,779 bilhões em março, uma queda real (descontada a inflação) de 6,96% na comparação com o mesmo mês de 2015. Em relação a fevereiro, houve um aumento de 8,56% na arrecadação. Foi o pior desempenho para meses de março desde 2010.
A arrecadação veio dentro do intervalo entre R$ 89 bilhões e R$ 99,800 bilhões esperado pela pesquisa do AE Projeções e levemente acima da mediana. A partir do intervalo de 21 estimativas enviadas por instituições do mercado financeiro, a mediana atingiu R$ 93,700 bilhões.
De janeiro a março, período do ministro Nelson Barbosa à frente do Ministério da Fazenda, a arrecadação federal somou R$ 313,014 bilhões, um recuo de 8,19% na comparação com o mesmo período do ano passado. O valor é o menor para o período desde 2010.
A queda na arrecadação é um dos pontos que está sempre presente nas falas do ministro Barbosa para justificar a redução da meta fiscal para este ano e a necessidade de aprovação da CPMF.
As desonerações concedidas pelo governo resultaram em uma renúncia fiscal de R$ 5,199 bilhões no mês passado, de acordo com dados da Receita Federal. No acumulado do ano, o governo deixou de arrecadar R$ 15,597 bilhões, uma renúncia 30,02% menor do que a registrada no primeiro trimestre do ano passado (R$ 22,287 bilhões).
A desoneração da folha de pagamento custou R$ 1,211 bilhão em março e R$ 3,633 bilhões nos três primeiros meses do ano. A redução do benefício foi muito criticada pelo setor privado quando o governo enviou o pedido ao Congresso, no ano passado.
O governo federal arrecadou ainda R$ 580 milhões no mês passado com o Refis, programa de parcelamento concedido através da Lei 12.996 de 2014. A arrecadação com o programa de janeiro a março foi de R$ 1,693 bilhão.
A arrecadação federal de receitas administradas pela Receita Federal indicou uma queda no recolhimento dos principais tributos federais. A maior queda foi verificada no Imposto sobre Importação e no IPI vinculado, com redução de 31,48% na sua arrecadação em março ante março de 2015. Em seguida, pode-se verificar uma baixa significativa nas receitas previdenciárias, de R$ 1,317 bilhão, ou 4,22% a menos que o arrecadado em março do ano passado.
A Receita registrou queda ainda no recolhimento de Imposto de Renda Pessoa Jurídica, Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, Cofins e PIS/Pasep e Imposto sobre Operações Financeiras. Ao todo, as receitas administradas pela Receita caíram 6,58% ante março do ano passado. A Cide sobre Combustíveis foi o único tributo a elevar sua arrecadação, porque estava com a alíquota zerada no ano passado.
No acumulado do ano, a arrecadação de receitas administradas pela Receita já apresenta uma queda de 7,53% ante o mesmo intervalo de 2015.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Impostômetro chegou a R$ 600 bilhões
Impostômetro chega a R$ 600 bi no sábado, diz ACSP
Em 2015, esse mesmo montante foi alcançado no dia 17 de abril
Dois terços dos contribuintes não entregaram IR
Governo procura idosos para pagar, em média, R$ 1,6 mil do PIS-Pasep
O dinheiro se refere ao total de depósitos realizados pelos trabalhadores na conta PIS-Pasep até a promulgação da Constituição atual, de 4 de outubro de 1988

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo