Porto Alegre, segunda-feira, 18 de abril de 2016. Atualizado às 02h37.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
33°C
25°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5240 3,5260 1,43%
Turismo/SP 3,4700 3,6600 1,38%
Paralelo/SP 3,4700 3,6600 1,38%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Conjuntura Internacional Notícia da edição impressa de 18/04/2016. Alterada em 18/04 às 02h36min

Brasil é risco para a América Latina, diz FMI

AFP/JC
Menor dinamismo da China afeta os países mais dependentes da exportação de matérias-primas

O Brasil em crise é um fator de risco para a América Latina, segundo avaliação divulgada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). A região é vulnerável a um crescimento chinês menor que o previsto, a novas baixas dos preços das commodities "e a uma deterioração ainda maior da situação do Brasil", comentou o diretor do Departamento de Hemisfério Ocidental do FMI, Alejandro Werner. O menor dinamismo da China afeta os países mais dependentes da exportação de matérias-primas. Apesar disso, o desempenho dessas economias é geralmente melhor que o da brasileira.
Além de travar o crescimento na vizinhança, o maior país sul-americano continua prejudicando os números globais da região. Sem Brasil, Argentina, Equador e Venezuela, o Produto Interno Bruto (PIB) da América do Sul teria crescido 2,9% no ano passado e poderia crescer 2,6% neste ano. As estatísticas ficam bem mais feias com a inclusão dos quatro países, com resultado negativo de 1,4% em 2015 e perspectiva de contração de 2% em 2016. O contraste é também visível em outros detalhes.

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Desigualdade trava PIB, afirma OCDE FMI diz que Argentina põe a casa em ordem com medidas difíceis
Carstens recordou que a expectativa de crescimento da América Latina neste ano é negativa
Produção industrial dos EUA cai 0,6% em março ante fevereiro
A produção industrial recuou em seis dos últimos sete meses nos EUA; no primeiro trimestre, ela recuou a uma taxa anualizada de 2,2%
PIB da China cresce 6,7% no 1º trimestre, na comparação anual
O número veio em linha com a média de crescimento prevista por 14 economistas consultados pelo The Wall Street Journal

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo