Porto Alegre, terça-feira, 05 de abril de 2016. Atualizado às 23h44.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
32°C
25°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,6780 3,6800 1,76%
Turismo/SP 3,5800 3,7900 1,06%
Paralelo/SP 3,5800 3,7900 1,06%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

artigo Notícia da edição impressa de 06/04/2016. Alterada em 05/04 às 22h16min

Opinião econômica: Dialética

VALTER CAMPANATO/abr/jc
Delfim Netto foi ministro, embaixador e deputado federal

Delfim Netto

Num "suelto" recente, publicado neste mesmo espaço, fiz um inocente jogo de palavras e uma advertência.
O jogo consistiu em comparar o programa que a presidente Dilma Rousseff aprovou e autorizou o seu ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, a executar, com a "tese" numa discussão dialética.
O programa do PT (partido que, por definição, é o suporte do governo, embora o negue) seria a sua "antítese". Não há como obter deles uma "síntese", por maior que seja o contorcionismo dialético... A advertência referia-se ao fato que existem hoje, no mundo, vários países desenvolvidos sob regime democrático e que melhor do que "dialeticar" é tentar entendê-los e melhor ainda, quando possível, tentar copiá-los com inteligência.
Recebi duas educadas observações. Uma recomendou-me tratar com mais respeito a dialética. Ela é coisa muito mais profunda do que eu possa imaginar. Concordo plenamente.
Numa carta de Marx a Engels (agosto de 1857), vi a dialética funcionando.
"(...) Na questão de Delhi -diz ele - tenho a impressão de que os ingleses serão forçados a uma retirada quando a estação das águas chegar... Eu arrisquei essa tese sob minha responsabilidade desde que tive a necessidade de substituí-lo, provisoriamente, como especialista militar no Tribune... É possível que eu esteja errado. Se esse for o caso, pode-se, sempre, corrigi-lo com um pouco de dialética. Evidentemente, coloquei as minhas matérias de forma a ter igualmente razão, mesmo se estiver errado". (Marx-Engels, Correspondance, vol. 5, pg. 15, Edictions Sociales. O artigo foi publicado no "New York Daily Tribune").
Estou conformado. Se souber "dialeticar", posso provar que estou certo e errado no mesmo instante...
A segunda observação é produto de um desconforto produzido em cidadãos que continuam a imaginar que existem caminhos alternativos ainda não percorridos para a construção da sociedade civilizada, que admite, simultaneamente, a plena liberdade individual, impõe a busca persistente da igualdade de oportunidades para todos os cidadãos empoderados pelo sufrágio universal e tem no uso dos "mercados" a eficiente garantia da sua sobrevivência material. Ignoram que a sociedade em que vivemos é produto de 10 mil anos de uma seleção histórica quase natural.
Aqui, também o velho Karl deveria ser levado mais a sério. No famoso "Grundrisse", ele ensinou que "uma nação pode e deve aprender com as outras".
Vamos combinar. Marx foi um dos mais poderosos cérebros produzidos pela natureza para saber quem ela é, mas nunca foi o marxista inventado por seus asseclas...
Economista, ex-deputado federal e ex-ministro da Fazenda, do Planejamento e da Agricultura
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Opinião econômica: Reconstrução A dignidade da pessoa humana
A dignidade da pessoa humana aparece pela primeira vez em 1934 em nossa Carta Constitucional
Parabéns, Novo Hamburgo
Falar de Novo Hamburgo, para mim, tem um significado especial. Afinal, foi a cidade que, incentivado pelos mais pais, escolhi para viver
Não ao PMDB e também aos fisiologistas
O PMDB de Ulysses Guimarães, aquele que resistiu à ditadura e que, junto com outros movimentos sociais e políticos, abriu caminho até a democratização nos anos 1980, não existe mais

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo