Porto Alegre, segunda-feira, 04 de abril de 2016. Atualizado às 14h57.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
31°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5930 3,5950 0,92%
Turismo/SP 3,5800 3,7400 0,79%
Paralelo/SP 3,5800 3,7400 0,79%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Crédito 04/04/2016 - 14h57min. Alterada em 04/04 às 14h57min

Banco do Brasil amplia participação no mercado de crédito à exportação para 33,5%

O Banco do Brasil aproveita o "fôlego" da balança comercial para ampliar a base de clientes e, assim, aumentar a participação de mercado no crédito a exportadores. O market share do banco - que é líder no segmento - subiu de 23,9% em março de 2015 para 33,5% em março deste ano.
O volume de desembolsos, no mesmo período, aumentou 31,5% nas linhas de Atendimento sobre Contratos de Câmbio (ACC) e sobre Cambiais Entregues (ACE). A primeira é uma linha de crédito de capital de giro para exportações em que o banco antecipa o valor de um bem que será exportado no futuro. O ACE é o crédito do valor de uma mercadoria que já foi embarcada para o exterior, mas o cliente estrangeiro vai pagar a empresa a prazo.
Além do bom momento da balança - que fechou março com superávit recorde para o mês, de R$ 4,4 bilhões -, o banco aposta na capacitação de empresários como ferramenta para diversificar a clientela. Na comparação de março deste mês com o mesmo mês de 2015, o BB teve aumento de 19% de novos clientes.
O banco diz que a expansão é consequência do investimento nos cursos de capacitação, com foco no crédito à exportação e nas garantias. Em 2015, mais de 5 mil empresários participaram de algum dos módulos dos cursos. Considerando estudantes e técnicos, foram mais de 6 mil pessoas.
Márcio Luiz Moral, diretor de Corporate Bank do BB, afirma que a atuação internacional do banco se baseia no atendimento de empresas nacionais com negócios fora do Brasil e a alavancagem do comércio exterior brasileiro. "O DNA do banco no exterior é fomentar as exportações", diz. O banco reformulou a estrutura interna para fundir em uma mesma estrutura a equipe internacional com a área comercial. "Assim, conseguimos assessorar os investimentos das empresas e 'vender o Brasil' lá fora", explica.
Além do treinamento de câmbio e comércio exterior para os empresários, nos últimos meses, o BB apostou na automação do processo das operações e ampliou os limites de crédito para empresas exportadoras.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Governo formaliza uso do FGTS como garantia para consignado Juros do cartão atingiram 447,5% ao ano em fevereiro Juro do cheque especial sobe em fevereiro e atinge 293,9% ao ano
Taxas voltaram ao patamar recorde do início da série histórica, iniciada em julho de 1994
Crédito on-line exige cuidados contra golpe

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo