Porto Alegre, sexta-feira, 22 de abril de 2016. Atualizado às 00h21.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
21°C
29°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5310 3,5330 0,11%
Turismo/SP 3,4700 3,6600 1,34%
Paralelo/SP 3,4800 3,6600 1,34%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Mercado Digital Patrícia Knebel


Mercado Digital

Notícia da edição impressa de 22/04/2016

A polêmica da internet limitada

É, no mínimo, curiosa a visão da Anatel de que as operadoras usaram e abusaram dos planos de banda larga fixa ilimitados porque dormiram no ponto e não foram capazes de projetar o crescimento da internet. Não existe ingenuidade nesse mercado. Já faz tempo que esses players estão cientes da explosão do tráfego de dados e que, inclusive, reclamam de sites de vídeos, games e músicas, como do YouTube, por consumirem muita banda. Agora que o Netflix caiu nas graças dos consumidores, então, essa incomodação se agravou. Tanto pelo fato de que o tráfego de vídeo realmente exige muita infraestrutura - que tem que ser fornecida pelas operadoras - como pelo fato de que esse serviço concorre diretamente com os planos de TV por assinatura comercializados pela maioria dessas empresas. Acenar com a redução da velocidade ou bloqueio da internet na medida em que os usuários atingirem o limite da sua franquia parece ser uma reação direta a esse cenário. Os consumidores ficam com um gosto amargo dessa mudança. Até porque operadoras de telefonia, produtores de conteúdo e fabricantes de televisores inteligentes, apenas para citar alguns elos dessa cadeia, têm trabalhado incessantemente nos últimos anos para, justamente, estimular o hábito de as pessoas estarem conectadas dia e noite. Agora que isso aconteceu - e que já é quase um vício -, os usuários recebem a notícia de que terão que controlar a sua navegação para não pagarem mais por isso.
Mais aceleração
A notícia é boa para as jovens empresas de base tecnológica. Os programas de aceleração estão pipocando no Brasil, e o mais recente deles a escolher os participantes é o Promessas, uma iniciativa da Endeavor. Para a edição da região Sul foram selecionados 25 players, com projetos que vão desde os da área de impressão 3D, passando por tecnologias para pecuária de produção e de gestão de serviços voltados ao setor jurídico.
Café conectado
Um smartphone com tecnologia bluetooth e uma máquina na linha Prodigio, da Nespresso. É só disso que você precisa para conseguir preparar o seu café remotamente e em horários programados. Pelo app que pode ser baixado por usuários de iOS e Android, o usuário pode ainda ser notificado quando suas cápsulas estiverem acabando e receber informações quando o reservatório de água estiver vazio. A Prodigio está disponível desde a semana passada no Brasil nas cores Titan e Silver e custa R$ 849,00.
App interno
Está dando certo a ideia da Ambev de melhorar os seus canais de comunicação com os funcionários por meio do portal e do app Click. As ferramentas já recebem cerca de 500 acessos por mês, geralmente de colaboradores em busca de informações sobre benefícios, como adiantamento ou bolsas de estudos, pedido de férias e acesso à documentação e avaliação de competências. O Click foi responsável pela redução das chamadas telefônicas internas da companhia de 60% em julho de 2015 em relação a janeiro. Mais de 20 mil dos 32 mil funcionários no País já fizeram o download do app.
 
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Em busca de startups atraentes
Porto Alegre está se movimentando para selecionar pelo menos 10 startups consideradas de alto potencial para investidores e que poderão passar a fazer parte da comunidade da Wenovate, instituição que conecta pessoas e instituições em torno de programas de inovação aberta
A cultura do faça você mesmo
Clientes de supermercados conseguirem pagar as suas compras diretamente em um terminal, sem ter que ir até um caixa operado por uma pessoa, já é uma realidade em muitas redes nos Estados Unidos
Não é uma bandeira branca Saúde na mira do cibercrime
Descubra onde estão as maiores oportunidades de obter lucro fácil e ilegal pela internet que lá estarão os cibercriminosos

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo