Porto Alegre, domingo, 10 de abril de 2016. Atualizado às 22h12.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
25°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5950 3,5970 2,59%
Turismo/SP 3,6200 3,8100 0,78%
Paralelo/SP 3,6200 3,8100 0,78%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

MÚSICA Notícia da edição impressa de 11/04/2016. Alterada em 08/04 às 18h55min

Wander Wildner lança seu novo trabalho na próxima quarta em Porto Alegre

FERNANDA CHEMALE/DIVULGAÇÃO/JC
Músico gaúcho lança Wanclub, disco retrospectivo da carreira

Caroline da Silva

Gravado via financiamento coletivo, o novo disco de Wander Wildner traz canções escolhidas pelos fãs com arranjos inéditos. Wanclub - Música para dançar - Volume 59 (Deck, R$ 30,00) tem show de lançamento nesta quarta-feira, no Opinião (José do Patrocínio, 834), às 21h, com ingressos de R$ 25,00 a R$ 60,00 - antecipados nas lojas Youcom e Multisom.
Na apresentação, ele interpretará as 20 músicas gravadas (14 no disco físico e seis no virtual) e estará acompanhado dos Comancheros Jimi Joe (guitarra e violão), Arthur de Faria (gaita, teclado e glockenspiel), Luke Faro (bateria), Gustavo Chaise (baixo) e Ândrio Maquenzi (guitarra), ainda com a participação especial de Julio Rizzo (trombone), Sandro Nunes (backin vocal), Mauricio Chaise (guitarra), Nenung (vocal) e André Vicente da Silva (harmônio). Flu estará colocando som e transmitindo ao vivo do local a partir das 19h30min com a Rádio Barril (www.radiobarril.com.br).
Wander se reuniu com o grupo em estúdio em dezembro de 2015 para gravar o repertório com as músicas mais pedidas pela plataforma do crowdfunding. São temas de toda a carreira, incluindo da época em que era vocalista na banda Os Replicantes. "Existiam dois seres diferentes: o que eu queria ser e o que as pessoas queriam ver. Este disco liga os dois! É uma homenagem às próprias músicas e aos fãs", explica o cantor, que pensou, desde o início, em apresentar Wanclub em forma de baile, querendo fazer o público dançar.
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2016/04/06/206x137/1_pan_45125-470597.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'57059f82be84a', 'cd_midia':470600, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2016/04/06/480x320/1_pan_45125-470597.jpg', 'ds_midia': '   ', 'ds_midia_credi': 'DESCK /DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': '   ', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '480', 'cd_midia_h': '319', 'align': 'Left'}
Desck/Divulgação/JC
Novo álbum do artista foi produzido por meio de financiamento coletivo 
Sua faceta de intérprete foi destacada pelo mesmo em entrevista coletiva na semana passada, um dia antes de estrear em Santa Maria o sarau vendido como uma das formas de recompensa no financiamento coletivo: "Venho do teatro, do cinema. Nos Replicantes, também era um intérprete. Subo no palco para contar uma história!".
Figura caricata da cena porto-alegrense e nacional, ele é, mesmo, um eterno mutante. "Eu sou um Wildner, um nômade, sem ponto fixo." O artista se reinventa a cada trabalho, transformando estilo, postura, figurinos, perfil das composições e tudo mais que houver para mudar. Prova disso é este álbum. O mais universal dos roqueiros gaúchos e um dos músicos independentes brasileiros que melhor compreendeu como se mover nos novos tempos concedeu às canções de sempre, escolhidas pelos fãs, um caráter de ineditismo. "Elas têm arranjos minuciosos. Nesse tempo, aprendi mais música!" A ousadia é uma de suas características marcantes, tanto quanto a crença no punk rock como música e como filosofia de vida. Assim, Astronauta abre os trabalhos. Foi lançada em 1987, em Histórias de Sexo & Violência, segundo álbum dos Replicantes. 
Depois de reverenciar o passado de crooner de banda, emenda uma trilogia emblemática de sua carreira solo, mais ligada ao punk brega, com Eu tenho uma camiseta escrita eu te amo, Bebendo vinho e Eu não consigo ser alegre o tempo inteiro. A quarta faixa é Um lugar do caralho, de Júpiter Maçã, regravada por Wander em Baladas sangrentas (1996), seu álbum de estreia solo. A letra traz "cerveja artesanal" no lugar de "cerveja barata". Ela é seguida por Surfista calhorda - de Carlos Gerbase e Heron Heinz. Na sequência, outra dupla de hits: Mantra das possibilidades, de Eu sou feio mas sou bonito! (2001), e Rodando el mundo, de Paraquedas do coração (2004), produzida pelo comanchero Arthur de Faria.
A segunda trilogia da obra se inicia com Sandina, escrita pelo velho parceiro Jimi Joe, que divide os vocais com Wander. Também produzida por Faria, Amigo punk, da Graforreia, foi gravada por Wander no CD La canción inesperada (2008). Outro som originalmente gravado pelos Replicantes, Hippie Punk Rajneesh fecha mais um bloco de Wanclub, que prossegue com duas releituras: Quase um alcoólatra, da banda gaúcha Chulé de Coturno, e Eu queria morar em Beverly Hills, da banda punk pernambucana Paulo Francis vai pro Céu, com um clima de reggae no refrão. Ambas foram registradas em seu segundo álbum de estúdio, Buenos dias! (1999). A positiva Boas notícias, de Camiñando e cantando (2010), fecha o disco no clima de festa. Os bônus track são a inédita Colonos em chamas; Empregada (um clássico do punk brega); Festa punk (do Replicantes), Jesus voltará! (do Sangue Sujo); Mares de cerveja e Um bom motivo.
Wander contou que voltou a compor há três anos, estando envolvido em muitas parcerias. Em breve, terá outras novidades para divulgar, entre elas - incrivelmente -, na área infantil.
O músico tem olhado muito para a nova geração - a qual chama de "filhos dos Los Hermanos, netos do Legião Urbana". Inclusive, foi a banda gaúcha Apanhador Só que o orientou no processo de financiamento coletivo. "Esses artistas novos têm outras ideias. Vi que precisava prestar atenção nisso para entendê-los." Mais um atestado de que Wander continua buscando referências para se reinventar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Para todos os públicos: Serenata Sinfônica Maroon 5 toca melhores sucessos e anima público em Porto Alegre Um olé dos Rolling Stones no Beira-Rio Kendrick Lamar rouba a cena, mas a noite é de Taylor Swift no Grammy

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo