Porto Alegre, terça-feira, 19 de abril de 2016. Atualizado às 19h57.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
31°C
33°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5270 3,5290 1,91%
Turismo/SP 3,4700 3,7100 0,53%
Paralelo/SP 3,4800 3,7100 0,53%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE 
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Indústria automotiva Notícia da edição impressa de 20/04/2016. Alterada em 19/04 às 19h40min

Fábricas do País recorrem à ajuda das matrizes

JONATHAN HECKLER/JC
GM poderá reavaliar plano de investimentos, alertou presidente mundial da montadora

No primeiro bimestre, montadoras e autopeças do Brasil enviaram US$ 12 milhões para as matrizes em forma de lucros e dividendos. Por outro lado, receberam das matrizes US$ 619 milhões em investimentos diretos, segundo dados do Banco Central (BC). Com queda na produção e nas vendas e operando com menos de 40% da capacidade produtiva, a indústria de veículos local, que no passado ajudou a socorrer as companhias-mãe, agora dependem da ajuda externa.
De 2006 a 2013, as remessas de lucros superaram os investimentos recebidos das matrizes, mas o quadro se inverteu nos últimos dois anos. Em 2014, foram enviados US$ 884 milhões para fora do País - 73% menos que em 2013. A injeção de capital somou US$ 2,9 bilhões, alta de 56% ante 2013. No ano passado, os percentuais foram parecidos, com remessa de US$ 271 milhões e entrada de US$ 4,5 bilhões.

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Brasil tem pior desempenho entre filiais da Volkswagen no primeiro trimestre Produção de veículos no 1º trimestre tem pior desempenho desde 2003, diz Anfavea General Motors quer ampliar as exportações Montadoras atingem em março maior ociosidade na produção desde 2001
Em março, a utilização da capacidade da montadoras ficou em 62,4%, o que significa que a ociosidade foi de 37,6%

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo