Porto Alegre, segunda-feira, 21 de março de 2016. Atualizado às 10h47.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
28°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,6280 3,6300 1,31%
Turismo/SP 3,6100 3,7700 0,78%
Paralelo/SP 3,6100 3,7700 0,78%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Crise Política Notícia da edição impressa de 21/03/2016. Alterada em 21/03 às 10h47min

Fernando Henrique defende impeachment de Dilma

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo publicada neste sábado. FHC disse que entendia que a melhor saída para a crise política e econômica seria a renúncia de Dilma, mas mudou de posição. "Eu fui passo a passo. Cheguei a defender que ela tivesse um gesto de grandeza e renunciasse. (...) Mas, com a incapacidade que se nota hoje de o governo funcionar, eu acho que agora o caminho é o impeachment. Se eu bem entendi, o que as ruas gritaram foi isso. As ruas gritaram renúncia, fim, impeachment."
O ex-presidente afirmou ainda que um eventual impeachment não deverá levar a uma ruptura institucional do País. Segundo FHC, "as instituições brasileiras estão mais sólidas do que estavam no impeachment do ex-presidente Fernando Collor. Não há temor de um retrocesso institucional. Tudo na política depende não apenas das circunstâncias, mas da capacidade de condução do processo".

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Serra e Temer negociam pacto para um novo governo
Apesar de sempre ser apontado como provável ministro de Temer, Serra diz que o PSDB deve esperar para discutir cargos
PMDB não sairá da gestão Dilma, avalia Rossetto Governo pede urgência ao STF no caso Lula Prazo de 45 dias para analisar impeachment deve ser abreviado, avalia Cunha
No início da semana, Cunha combinou com partidos de oposição que, para acelerar o processo do impeachment, começará a convocar sessões todos os dias da semana

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo