Porto Alegre, quarta-feira, 16 de março de 2016. Atualizado às 09h22.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
25°C
32°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7620 3,7640 3,06%
Turismo/SP 3,6500 3,9300 4,24%
Paralelo/SP 3,6500 3,9300 4,24%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

artigo Notícia da edição impressa de 16/03/2016. Alterada em 16/03 às 09h22min

Por que dificultar?

Mendes Ribeiro

Por que no Brasil os governos criam e administram tantos entraves para a criação ou desenvolvimento de pequenas empresas? Por que a administração pública cada vez menos cria condições saudáveis para o surgimento de novos empreendedores? Às vezes, observo alguns colegas políticos discursando contra os empresários, com aquela velha segregação entre trabalhador e empreendedor. Na minha visão, porém, ambos estão do mesmo lado. Qual empresa sobrevive sem uma competente e valorizada massa trabalhadora? Qual sociedade moderna e preocupada com o seu próprio desenvolvimento saudável, tanto econômico quanto social, sobrevive sem empresas que gerem postos de trabalho e cumpram com suas obrigações?
Mais do que isso, por que é tão difícil visualizarmos o quadro como um todo? Nossas decisões e, principalmente, nossa capacidade de dar atenção a todos os envolvidos, podem ser os fatores decisivos para incentivar ou sepultar um negócio em ascensão e os empregos que poderiam ser criados. Por que, em nosso País, os jovens anseiam prestar concurso e trabalhar na máquina pública, muitos desistindo de seus reais sonhos de criar algo novo, de empreender, gerar riqueza e mais postos de trabalho? Para essa pergunta, reafirmo: nós não criamos condições para isso! Conforme dados do Sebrae, as empresas de pequeno porte correspondem a 52% dos empregos com carteira assinada, em um total de quase 9 milhões de micro e pequenas empresas.
É louvável que o espírito empreendedor ainda resista no brasileiro, que, apesar da crise econômica, tenta superar a falta de oportunidades no mercado de trabalho ou até mesmo complementar sua renda através de um novo negócio. Como gestores públicos, temos a necessidade de ampliar nossa visão, buscando formas criativas para incentivar a população a participar do desenvolvimento da cidade, deixando suas ideias florescerem, reconhecendo sua importância para a economia e levando ao público a esperança de que Porto Alegre é uma terra fértil para investir em seus sonhos.
Vereador de Porto Alegre (PMDB)
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Opinião econômica: Será o fim Opinião econômica: Acredito no futuro Integridade das marcas

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo