Porto Alegre, terça-feira, 22 de março de 2016. Atualizado às 14h57.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
25°C
27°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,5890 3,5910 0,52%
Turismo/SP 3,6100 3,7800 0,53%
Paralelo/SP 3,6100 3,7800 0,53%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Relações Internacionais 22/03/2016 - 14h29min. Alterada em 22/03 às 14h57min

Obama pede mudanças em Cuba e diz que Guerra fria acabou

YURI CORTEZ/AFP/JC
Obama fez um pronunciamento pela televisão, transmitido ao vivo em Cuba

Agência Brasil

O pronunciamento de Obama faz parte da agenda do último dia de permanência do presidente norte-americano em Cuba. Obama foi muito aplaudido quando mencionou a questão do embargo comercial e financeiro que afeta Cuba há mais de 50 anos. Segundo ele, o embargo é um "fardo ultrapassado para o povo cubano."
"Havana fica a apenas 90 milhas (cerca de 145 quilômetros) da Flórida, mas para chegar até aqui tivemos de percorrer uma grande distância", informou Obama ao se referir à série de preparativos que precederam a visita presidencial a Cuba.
O presidente dos Estados Unidos afirmou que há problemas que precisam ser resolvidos antes que ele possa convencer o Congresso norte-americano a levantar o embargo. "As diferenças entre nossos governos ao longo desses muitos anos são reais", acrescentou Obama em referência às questões dos direitos humanos e de eleições livres.
De acordo com Obama, os direitos humanos são universais e não políticos. "A América acredita na democracia. Acreditamos que as liberdades de expressão, de reunião e de religião não são apenas os valores americanos, mas valores universais", destacou.
Em pronunciamento no Teatro Grande Havana, transmitido ao vivo para toda população cubana, Obama disse hoje que o momento vivido nas relações entre os governos norte-americano e cubano exige que sejam enterrados "os últimos remanescentes da Guerra Fria nas Américas".
"Estou aqui para estender a mão da amizade ao povo cubano", disse Obama.
O presidente norte-americano afirmou, porém, que os cubanos serão capazes de tomar suas próprias decisões em eleições livres e justas. Nessas eleições, segundo Obama, os cubanos poderão expressar seus pensamentos "sem medo".
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Em Cuba, Obama condena atentados na Bélgica e pede união contra o terrorismo Em encontro histórico, Castro pede a Obama fim do embargo a Cuba Google expandirá acesso à banda larga e rede de Wi-Fi em Cuba, diz Obama Obama se encontra nesta segunda-feira com Raúl Castro em Cuba

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo