Porto Alegre, segunda-feira, 21 de março de 2016. Atualizado às 16h56.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
28°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,6090 3,6110 0,78%
Turismo/SP 3,6100 3,7600 0,26%
Paralelo/SP 3,6100 3,7600 0,26%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Relações Internacionais 21/03/2016 - 16h34min. Alterada em 21/03 às 16h56min

Em encontro histórico, Castro pede a Obama fim do embargo a Cuba

Nicholas KAMM/AFP/JC
Encontro histórico aconteceu em Havana

O presidente de Cuba, Raúl Castro, pediu ao seu homólogo dos EUA, Barack Obama, que seja suspenso o embargo econômico à ilha. O líder norte-americano, por sua vez, se comprometeu a avançar com a normalização das relações entre os dois países.
Em uma reunião histórica, Castro classificou as recentes medidas de Obama para relaxar as restrições à ilha como "positivas", mas as considerou insuficientes. Ele pediu novamente que os EUA devolvam a sua base naval na Baía de Guantánamo a Cuba e acabem com o embargo comercial. "Isso é essencial, porque o bloqueio permanece", afirmou o líder cubano.
Obama se comprometeu a pressionar os líderes cubanos a respeitarem os direitos humanos e as liberdades política e disse que o simples fato de uma visita de um líder norte-americano à ilha, a primeira desde 1928, iria promover esses valores entre a população. "Este é um novo dia", afirmou o norte-americano. "Nós tivemos uma ampla e sincera conversa sobre direitos humanos e democracia."
Ainda que o clima fosse tranquilo, houve momentos de ataques velados.
Castro disse que é "inconcebível" que um governo deixe de garantir cuidados de saúde, educação, alimentação e segurança social para a população. "Em nossa opinião, os direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais são indivisíveis, interdependentes e universal. Nós defendemos os direitos humanos", disse.
Obama, por sua vez, disse que observa "grandes diferenças" entre os EUA e Cuba no que diz respeito à democracia e os direitos humanos. "O futuro de Cuba será decidido pelos cubanos - não por qualquer pessoa. Sempre deixei claro que os EUA continuam a apoiar a democracia e o direito do povo cubano em decidir seu próprio futuro", afirmou. 
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Google expandirá acesso à banda larga e rede de Wi-Fi em Cuba, diz Obama Obama se encontra nesta segunda-feira com Raúl Castro em Cuba Obama: Visita é 'oportunidade histórica de interagir com o povo cubano' Obama chega a Cuba, na primeira visita de um presidente dos EUA desde 1928

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo