Porto Alegre, terça-feira, 08 de março de 2016. Atualizado às 22h55.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
29°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7380 3,7400 1,47%
Turismo/SP 3,6900 3,9100 1,01%
Paralelo/SP 3,6900 3,9100 1,01%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Acidente Notícia da edição impressa de 09/03/2016. Alterada em 08/03 às 20h30min

Desaparecimento do voo MH370 completa dois anos

WANG ZHAO/AFP/JC
Familiares e amigos das 239 pessoas que estavam a bordo da aeronave fizeram vigília ontem

Dois anos depois, o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines, logo após decolar do aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, com 239 pessoas a bordo, rumo a Pequim, na China, continua sendo um mistério. Ainda assim, o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, disse ontem que está esperançoso de que o avião será encontrado.
Antes do início da sessão no Parlamento, os legisladores fizeram um minuto de silêncio para marcar o segundo aniversário do desaparecimento da aeronave. Najib disse que a parte da asa encontrada na Ilha da Reunião, na França, em julho do ano passado, evidencia que o voo tragicamente terminou no Sul do Oceano Índico.
"A procura tem sido o maior desafio na história da aviação. Continuamos comprometidos a fazer tudo o que estiver em nosso alcance para resolver o que é um mistério angustiante", afirmou Najib em comunicado.
Destroços encontrados perto de Moçambique na semana passada renovaram as esperanças de parentes, que pedem que os investigadores revejam erros do início das buscas. Cerca de 120 mil quilômetros quadrados de área marítima foram vasculhados, a um custo estimado de US$ 124 milhões (cerca de R$ 466 milhões). Porém, nenhum rastro do Boeing foi encontrado, exceto por uma parte da asa, recolhida em agosto de 2015. 
Uma reunião marcada para junho entre Austrália, China e Malásia determinará se as buscas serão estendidas ou não. O Voice370, grupo de apoio aos familiares das vítimas do voo, disse, na semana passada, que a queixa de que o dinheiro para buscas está no fim é "inaceitável" como razão para encerrar a investigação, que poderá beneficiar a indústria como um todo. Ontem, parentes e amigos fizeram uma vigília para marcar os dois anos da tragédia.
 
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Famílias pedem que buscas pelo voo MH370 prossigam
Ônibus cai da ponte sobre Rio Jacuí na BR-290, entre Porto Alegre e Eldorado do Sul Aviões militares caem em Myanmar e na Indonésia
Aviões caíram em acidentes distintos causando a morte de pelo menos sete pessoas
Incêndio atinge Cinemateca Brasileira
Segundo os bombeiros, parte do acervo foi danificada. Não houve vítimas

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo