Porto Alegre, quinta-feira, 31 de março de 2016. Atualizado às 00h08.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
22°C
31°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,6200 3,6220 0,46%
Turismo/SP 3,6200 3,7800 0,52%
Paralelo/SP 3,6200 3,7800 0,52%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

agronegócios Notícia da edição impressa de 31/03/2016. Alterada em 30/03 às 23h15min

Custo médio de produção de arroz no Estado aumenta 17,4%

EMATER/DIVULGAÇÃO/JC
Preço da saca do cereal segue em queda no Rio Grande do Sul

De acordo com levantamento realizado pelo Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), o custo total de produção de arroz no Estado para a safra 2015/2016 teve, em média, um incremento de 17,4% em relação ao observado na safra anterior. Considerando a produtividade média obtida no Estado nas últimas três safras, de 150,19 sacas por hectare, o custo de produção por saco atinge o valor de R$ 44,71. Itens relacionados aos juros sobre crédito oficial e capital próprio e a energia elétrica foram os que tiveram a maior elevação.
Em relação à comercialização, apesar do baixo interesse de venda de orizicultores, o preço da saca do arroz em casca segue em queda no Rio Grande do Sul. Segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP, intervalos de chuva e sol trouxeram lentidão às atividades de colheita da safra 2015/2016 no Estado como um todo, e produtores estiveram ainda mais atentos ao desenvolvimento da lavoura e, portanto, retraídos das vendas. Muitos estão preocupados com uma possível queda na produtividade. Indústrias, por sua vez, se queixaram das vendas de arroz beneficiado aos grandes centros consumidores, reduzindo os valores ofertados para novas aquisições.
Além de as beneficiadoras estarem recebendo arroz da nova safra em depósito nos seus armazéns, o enfraquecimento do dólar pode estimular as importações e reduzir as exportações.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Agricultura confirma questionamento na OMC sobre barreiras à carne do Brasil
Durante a 65ª Reunião do Comitê sobre Medidas Sanitárias e Fitossanitárias (Comitê SPS), os representantes brasileiros também questionaram as restrições impostas pela Nigéria às carnes bovina e de aves nacionais
Estudo da Conab detalha clima para safra de verão Estado pretende dobrar produtividade de peixe Suínos e frangos têm abate recorde em 2015

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo