Porto Alegre, quinta-feira, 17 de março de 2016. Atualizado às 23h30.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
25°C
28°C
23°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,6500 3,6520 2,32%
Turismo/SP 3,6100 3,8000 4,28%
Paralelo/SP 3,6100 3,8000 4,28%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Comércio Exterior Notícia da edição impressa de 18/03/2016. Alterada em 17/03 às 22h13min

Estado cai para 6º em ranking de exportadores

FREDY VIEIRA/JC
Resultado de fevereiro superou apenas o de 2006, explica Torezani

Em fevereiro, o Rio Grande do Sul exportou US$ 859 milhões, um recuo de 1,8% em relação a fevereiro de 2015. O volume embarcado ao exterior apresentou um desempenho positivo (17,6%), ficando o preço (-16,5%) como o responsável pelo recuo das divisas em dólar das exportações gaúchas. Com esses resultados, o Rio Grande do Sul recua do 4º lugar para o 6º no ranking dos principais estados exportadores, sendo ultrapassado pelo Mato Grosso e pelo Paraná e mantendo-se atrás de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. O desempenho das vendas externas gaúchas foi inferior ao do Brasil, cujas exportações cresceram 10,4% em valor e 36% em volume, com uma queda em preços de 18,8%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pelo Núcleo de Dados e Estudos Conjunturais da Fundação de Economia e Estatística (FEE).
Segundo Tomás Torezani, pesquisador em Economia da FEE, "Mato Grosso e Paraná se destacaram no mês com um crescimento bastante expressivo de suas vendas externas de produtos básicos, mais especificamente de milho e de soja em grãos. Juntamente com São Paulo, foram os três estados que registraram os maiores ganhos em valor. Ademais, a despeito de fevereiro já não ser um mês tão dinâmico como outros meses para o Rio Grande do Sul, o de 2015 já tinha sido o pior desde 2010 e agora, em 2016 as nossas exportações foram apenas maiores que as de 2006".
No mês, os produtos industriais (que incluem os semimanufaturados e os manufaturados) registraram crescimento tanto em valor (42,2% e 0,4%, respectivamente) quanto em volume (65,6% e 22%), mesmo com quedas em preços (-14,2% e -17,7%, respectivamente).
As exportações de produtos manufaturados representam 45,5% da pauta (US$ 391 milhões), enquanto produtos semimanufaturados cresceram de 10 para 14% no comparativo entre fevereiro de 2016 (US$ 122 milhões) e o mesmo período de 2015. Entre os manufaturados, os produtos que mais puxaram o crescimento das exportações foram polímeros plásticos, calçados e automóveis. O destaque negativo foi o recuo nas vendas de ônibus e de máquinas agrícolas.
Já as exportações de semimanufaturados cresceram especialmente em função das vendas de celulose ( US$ 46 milhões), saindo de uma contribuição para a pauta de semimanufaturados de 6% em fevereiro de 2015 para 42% em 2016, com uma elevação de 913% em valor e de 979% em volume, apresentando retração em preços de 6,1%. Outro produto em destaque que apresentou crescimento foi couros e peles curtidos. Por seu turno, o óleo de soja em bruto foi o produto com o maior recuo (-US$ 11 milhões).
Resultado distinto foi verificado nos produtos básicos que, mesmo com um ligeiro crescimento em volume (0,7%), recuaram 12,8% em valor, em virtude da retração em preços (-13,4%). Os produtos que mais contribuíram para a redução das vendas foram trigo em grão e farelo de soja. Como resultados positivos, destaque para o crescimento das vendas de soja em grão, fumo em folhas, carne bovina e carne suína. Ressaltam-se, também, os crescimentos em valor e volume das vendas de carne de frango e de arroz.
Os principais destinos das exportações gaúchas em fevereiro foram Estados Unidos (12,5%), China (10%), Argentina (8,7%), Alemanha (3,1%) e Uruguai (3%).
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Exportações totais do Estado recuam em fevereiro, mas indústria cresce
Estados Unidos foram o principal destino, com alta de 32,1% no fluxo. No ano, as vendas totais caíram 9,3%
Balança comercial tem superávit de US$ 828 milhões na segunda semana de março
O resultado foi alcançado a partir de exportações que somaram US$ 3,330 bilhões e importações de US$ 2,502 bilhões, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira
Exportação total de carne bovina cresce 25% em fevereiro, diz Abrafrigo Superávit da balança na 1ª semana de março é de US$ 1,239 bilhão
O resultado positivo foi alcançado com exportações que totalizaram US$ 3,124 bilhões e importações de US$ 1,885 bilhão

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo