Porto Alegre, quarta-feira, 16 de março de 2016. Atualizado às 00h31.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
25°C
32°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7620 3,7640 3,06%
Turismo/SP 3,6500 3,9300 4,24%
Paralelo/SP 3,6500 3,9300 4,24%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Energia Notícia da edição impressa de 16/03/2016. Alterada em 15/03 às 22h46min

Caibi planeja investir R$ 25 milhões em PCH

Adriana Folle/Jornal O alto uruguai/divulgação/jc
Balestreri manifestou intenção de participar de certame neste semestre

Jefferson Klein

O projeto da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Bela Vista deu ontem um importante passo para seguir adiante com a declaração de utilidade pública, dada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), de cerca de 100 hectares para a implantação da usina. O complexo da Central Elétrica Caibi absorverá um investimento de aproximadamente R$ 25 milhões e será erguido no rio Socorro, em Vacaria.
A usina terá 5,5 MW de capacidade instalada (cerca de 0,15% da demanda média de energia do Rio Grande do Sul). O diretor da companhia Leonir Ângelo Balestreri afirma que a meta é participar com o empreendimento de um leilão de energia ainda neste semestre. A concorrência é promovida pelo governo federal para abastecer o Sistema Interligado de Energia Nacional. Saem vitoriosas as iniciativas que, entre outros fatores, apresentam os custos mais competitivos.
Apesar da intenção da Caibi de ingressar no certame, não está descartada a possibilidade da venda de uma parcela ou da totalidade da energia a ser gerada no mercado livre (formado por grandes consumidores que podem escolher de quem comprar a energia). A opção dependerá dos preços apresentados em cada ambiente.
A partir do início das obras, a implementação do complexo deverá levar aproximadamente 18 meses. A ação deverá proporcionar cerca de 300 empregos entre diretos e indiretos. A empresa espera obter o licenciamento de instalação, por parte da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), antes da realização do leilão. Mesmo se isso não ocorrer, a companhia ainda poderá concorrer no certame apenas com a licença prévia.
Balestreri recorda que o surgimento da Caibi, que tem sede em Frederico Westphalen, é resultado da sociedade dele com outros dois irmãos (proprietários de um frigorífico, depois vendido para o grupo Marfrig) que, juntos, decidiram investir no setor de energia. Além da PCH Bela Vista, o grupo possui outros projetos traçados. Através da sua coligada Três Fronteiras, a Caibi tem planos para instalar oito usinas ao longo da Bacia do Rio Pardo, sendo que os complexos somarão uma capacidade de 40 MW. Outras duas PCHs, de 6,5 MW e 2 MW, serão implementadas no Rio Leão e também ficarão situadas em Vacaria. As análises desses empreendimentos já se encontram dentro da Aneel e da Fepam.
O grupo iniciou (há menos de 30 dias) a construção da Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Santo Antônio, de 1 MW de capacidade, localizada no município de Casca.
A unidade deve ser terminada antes do final deste ano. A energia dessa estrutura será voltada para o mercado livre. Quanto a usinas já operando, a Caibi tem participação ainda nas PCHs Rio dos Índios (de 8 MW, localizada em Nonoai) e Santa Carolina (de 10,5 MW, no município de André da Rocha).
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Plano Energético do RS será lançado na próxima quinta-feira
O estudo foi desenvolvido pela Secretaria de Minas e Energia e tem por objetivo planejar a demanda de energia para os próximos 10 anos
CSN não obtém liminar para suspender aumento de capital da Usiminas
O pedido da CSN se baseia no fato de que um aumento de capital diluiria a base de acionistas da siderúrgica mineira
AES Sul é lider em geração distribuída no Rio Grande do Sul Usiminas confirma reunião do conselho na sexta para debater injeção de recursos
A companhia afirma que uma dessas alternativas é o aumento de capital com a emissão de novas ações

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo