Porto Alegre, terça-feira, 08 de março de 2016. Atualizado às 13h55.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
29°C
30°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7720 3,7740 0,57%
Turismo/SP 3,6500 3,9500 0%
Paralelo/SP 3,6500 3,9500 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Conjuntura 08/03/2016 - 13h54min. Alterada em 08/03 às 13h55min

Confiança do consumidor fica praticamente estável em fevereiro, diz ACSP

O Índice Nacional de Confiança (INC), apurado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), registrou 76 pontos em fevereiro, praticamente estável em relação a janeiro (77 pontos), mas 52 pontos abaixo daquele registrado em fevereiro de 2015. Em nota, o presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Alencar Burti, destaca que o nível permanece praticamente no mesmo patamar por três meses seguidos. "Enquanto não houver solução para o impasse político-institucional que derruba a nossa economia, não há perspectivas de melhora. Precisamos urgentemente que o Brasil volte a andar e a crescer", analisou.
Na apuração por região, o indicador do Norte/Centro-Oeste ficou em 79 pontos em fevereiro, recuo de seis pontos ante janeiro e 75 pontos a menos do que o mesmo mês de 2015 (154 pontos). A ACSP explica que a influência negativa do clima na produção agrícola pode ter afetado a confiança da população da área.
O Sul registrou 68 pontos ante 63 em janeiro e 129 no ano passado. O aumento na comparação mensal pode ser resultado do acordo entre o Rio Grande do Sul e o Governo Federal quanto as dívidas do estado.
O Sudeste, por sua vez, ficou com 70 pontos contra 66 em janeiro e 123 pontos há um ano. Nessa região, o estado de São Paulo continua com pessimismo elevado, tendo marcado 60 pontos (o mesmo que em janeiro, mas 47 a menos do que no mesmo período de 2015). Já o índice no Nordeste foi de 91 pontos em fevereiro - o mesmo resultado do mês anterior e 132 pontos há um ano.
Por grupos socioeconômicos, a confiança da Classe C subiu um pouco - de 73 pontos em janeiro para 77 pontos em fevereiro -, explicado pelo alongamento de prazos no crediário. Mas ainda está longe do resultado de fevereiro de 2015, quando ficou em 134 pontos.
 
Já a confiança das classes D/E diminuiu de 92 pontos em janeiro e 130 pontos em fevereiro de 2015 para 87 pontos no mês passado. A ACSP menciona a inflação de alimentos que pesou mais no bolso desse consumidor. Por fim, a classe A/B teve um INC de 63 pontos em fevereiro, diante de 62 em janeiro e 110 em fevereiro de 2015.
Quando questionados se conhecem alguém que perdeu o emprego nos últimos seis meses, o número é recorde. Em fevereiro, os entrevistados disseram conhecer, em média, 5,25 pessoas que foram demitidas. No mesmo mês de 2015, a média era de 3,25.
Em corroboração a isso, a pesquisa destaca que 54% dos consumidores estão inseguros no emprego (ante 33% em 2015). Como consequência, somente 17% estão à vontade para comprar eletrodomésticos (34% em 2015) e apenas 10% para adquirir carro ou imóvel (26% há um ano). Em fevereiro, apenas 24% dos entrevistados consideravam sua situação financeira boa. Em 2015, esse porcentual era de 40%.
Quanto às perspectivas futuras, o INC aponta que 31% acreditam que sua situação financeira irá melhorar nos próximos meses. Há 12 meses, 47% tinham a mesma percepção. Nas variações mensais, todos os indicadores mantiveram-se estáveis ou dentro da margem de erro (3 pontos).
A pesquisa de fevereiro foi realizada entre os dias 13 e 28 de fevereiro em todas as regiões brasileiras pelo Instituto Ipsos a partir de 1,2 mil entrevistas domiciliares em 72 municípios, por amostra representativa da população brasileira de áreas urbanas.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
IPC-S desacelera 0,68% na primeira leitura de março, diz FGV
O grupo Alimentação mostrou ligeira alta de 1,08%, na comparação com 1,07%, devido especialmente pelo encarecimento das frutas
IGP-DI de fevereiro fica em 0,79%, informa FGV
Com o resultado, o IGP-DI acumula alta de 2,33% no ano e elevação de 11,93% nos últimos 12 meses
Pedidos de recuperação judicial crescem 116,4% em dois meses
O número de recuperações judiciais requeridas em todo o país no primeiro bimestre de 2016 foi 116,4% maior que o registrado no mesmo período de 2015
Projeção de IPCA para 2016 sobe de 7,57% para 7,59%, aponta Focus
Depois de uma semana de respiro, o mercado financeiro voltou a elevar suas projeções para a inflação deste ano

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo