Porto Alegre, segunda-feira, 07 de março de 2016. Atualizado às 22h41.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
22°C
30°C
19°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7940 3,7960 0,93%
Turismo/SP 3,6500 3,9500 2,06%
Paralelo/SP 3,6500 3,9500 2,06%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Tecnologia Notícia da edição impressa de 08/03/2016. Alterada em 07/03 às 20h32min

Empresas menores ganham espaço nos negócios on-line

MERCADO LIVRE BRASIL /DIVULGAÇÃO/JC
Lemos cita fatores que explicam a expansão das vendas pela web

Patricia Knebel

Muita coisa mudou (para pior) do ponto de vista político e econômico no Brasil nos últimos anos, mas, se tem algo que segue firme é o comércio eletrônico. Dados do 33º Webshoppers, pesquisa anual que traça perfil do comércio eletrônico no País, mostram que o setor faturou R$ 41,3 bilhões em 2015, alta nominal de 15,3% sobre 2014, passando a representar 3,3% do varejo tradicional.
Embaladas por esse cenário, as pequenas e médias empresas estão aumentando a sua participação e as vendas pela web, como aponta a segunda edição da pesquisa Mercado Livre e Ibope Conecta, realizada com 529 empreendedores MPMEs de e-commerce. Dos entrevistados, 81% registraram crescimento em vendas em 2015 e em um percentual maior do que o esperado - eles achavam que iria crescer 25%, mas a média registrada foi de 45%. A mesma pergunta foi feita no início de 2016 e 65% projeta um desempenho positivo. "A minha aposta é que, ao final desse ano, um percentual ainda maior do que mostra a pesquisa vai crescer de fato. Acredito que eles estão contaminados pelo clima da economia e, por isso, mais comedidos nas projeções", comenta o presidente do Mercado Livre Brasil, Helisson Lemos.
A pesquisa foi realizada em janeiro deste ano com o mesmo perfil de empreendedores da primeira versão da pesquisa: MPMEs que utilizam diversos canais de vendas, incluindo o Mercado Livre.
"Com base em 2014 e 2015, só tenho boas perspectivas para esse ano. Apesar da situação econômica, nós estamos crescendo e vamos continuar investindo", afirma o presidente do Industrial Shop, Paulo Roberto da Silva. A loja virtual comercializa em todo Brasil produtos eletroeletrônicos voltados para o comércio e indústria.
Ao analisar a evolução do comércio eletrônico no Brasil, o presidente do Mercado Livre diz que alguns fatores explicam o crescimento das vendas on-line mesmo com o cenário turbulento. A evolução da infraestrutura básica para acesso à internet, como a banda larga, o aumento do número de pessoas que usa o cartão como forma de pagamento e a maior sensação de segurança em relação ao mundo on-line são alguns deles.
Isso sem falar, claro, na possibilidade de poder usar e abusar das pesquisas de preços antes de fazer as compras, o que é um grande aliado em época de crise. "Vivemos uma etapa de mudança de hábito dos consumidores, em que cada vez mais fica clara a migração do comercio off-line para o on-line", observa. O executivo usa os números para demonstrar esse potencial. "Enquanto que na Inglaterra o e-commerce representa 12% do total do varejo e nos EUA 10%, no Brasil é menos de 4%. Temos muito espaço para avançar", complementa.
O Mercado Livre é uma das maiores companhias de e-commerce no Brasil e o oitavo site de e-commerce mais acessado do mundo. Presente em 16 países, fechou 2015 com receita líquida de US$ 290,6 milhões no País - alta de 6% em dólares e de 50% em reais.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Microsoft anuncia fechamento de 27 lojas físicas no Brasil
A decisão, confirmada nesta quarta-feira, 2, pela empresa atinge a rede da franqueada Águia Telecom, responsável por lojas e quiosques espalhadas por oito Estados do País
WhatsApp pode voltar a ser alvo de suspensão judicial
Delegado do Deic de São Paulo, disse que pode voltar a fazer o pedido de bloqueio do aplicativo junto ao Judiciário
Para LG, brasileiro exige recursos em smartphones Endeavor terá líder local para empreendedorismo

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo