Porto Alegre, quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016. Atualizado às 12h40.
Dia do WebDesigner.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
29°C
35°C
26°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9940 3,9960 0,83%
Turismo/SP 3,8000 4,1500 0,72%
Paralelo/SP 3,8000 4,1500 0,72%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

assembleia legislativa Notícia da edição impressa de 24/02/2016. Alterada em 24/02 às 12h40min

Aprovada PEC que autoriza venda da Cesa

MARCO QUINTANA/JC
Em rápida votação no plenário da Casa, deputados acolheram proposta por 37 votos a 12 no segundo turno

Fernanda Nascimento

O governo estadual está mais próximo de realizar mudanças na Companhia Estadual de Silos e Armazéns (Cesa). O primeiro entrave para uma futura venda da empresa, já sinalizada pelo governo de José Ivo Sartori (PMDB), foi vencido ontem, com a aprovação em segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que retira a necessidade de plebiscito para autorizar operações de alienação, transferência do controle acionário, cisão, incorporação, fusão ou extinção da empresa.
Apesar da expectativa de debate, em decorrência da contrariedade do oposição com o tema, a votação ocorreu de forma rápida e sem polêmica, foram 37 votos favoráveis e 12 contrários. O texto havia sido aprovado em primeiro turno, em dezembro do ano passado, no pacote de projetos votados durante uma convocação extraordinária. A base do governo comemorou a vitória com aplausos.
Sem a Cesa, a lista das empresas que necessitam de plebiscito para alterações fica composta pela Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), a Companhia Rio-grandense de Mineração (CRM) e a Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul (Sulgás). Outras empresas, como a Procergs e o Banrisul, também seguem precisando de consulta para ter sua estrutura alterada. Além das mudanças na Cesa, os deputados também aprovaram a criação do auxílio-refeição para a Defensoria Pública. Os funcionários da instituição eram os únicos da administração pública que não recebiam o benefício. Apesar da pressão dos funcionários e da oposição, o governo conseguiu aprovar uma emenda que impediu o pagamento retroativo do benefício ao mês de envio do projeto para a Assembleia, em outubro. "O projeto é importante, mas este benefício não pode ter pagamento retroativo, algo que contestamos em outros poderes", defendeu o líder do governo, Alexandre Postal (PMDB).
Os deputados aprovaram ainda o relatório da Comissão Especial dos Direitos da Mulher, que realizou um levantamento sobre a situação da Rede de Enfrentamento às Mulheres Vítimas de Violência - Rede Lilás no Estado. O projeto de lei que institui a Política Estadual de Direitos Humanos e Assistência a Filhos ou Filhas de Apenadas, da deputada Miriam Marroni (PT), teve a votação adiada para a próxima semana.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Votação do piso regional está indefinida Vilmar Zanchin assume a presidência da CCJ Deputados apresentam emendas ao piso Sindicalistas e empresários travam disputa por reajuste do piso regional
Centrais pressionam deputados a aprovar 11,38%; empregadores querem zero de aumento

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo