Porto Alegre, domingo, 28 de fevereiro de 2016. Atualizado às 22h20.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
35°C
28°C
17°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9980 4,0000 1,24%
Turismo/SP 3,8000 4,1500 1,21%
Paralelo/SP 3,8000 4,1500 1,21%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

artigo Notícia da edição impressa de 29/02/2016. Alterada em 28/02 às 17h59min

Conteúdo local sob ameaça

Hernane Cauduro

O decreto do governo federal alterando as regras do conteúdo local na área do óleo e gás tem gerado a simpatia de uma minoria de grandes empresas às custas do corte na carne da grande maioria que são as médias e pequenas fabricantes de máquinas e equipamentos. O novo conceito consiste em retirar as multas por descumprimento dos percentuais de conteúdo local nas compras de petroleiras e substituí-los por bônus quando desenvolverem fornecedores nacionais e assim contribuírem para o desenvolvimento tecnológico e também na exportação destas indústrias.
A intenção parece boa, mas as novas regras serão interpretadas por um conselho que julgará os casos que tiverem direito a bônus, integrado por funcionários de várias áreas do governo, com base num regulamento por eles elaborado. O conteúdo local é sim um instrumento muito eficaz de política industrial utilizado por todos os países industrializados, mas as autoridades brasileiras estão elegendo um seleto grupo de empresas cujas multas, por não seguirem as regras então vigentes, elevam-se a R$ 10 bilhões, beneficiando com bônus a Petrobras e outros grandes fornecedores de sondas, navios, plataformas parte deles denunciados na Lava Jato. Um governo que abre mão de arrecadar tal montante e trocá-lo por bônus não deveria cortar verbas da educação, saúde e muito menos apelar para o aumento da já insuportável carga tributária com a pretendida recriação da famigerada CPMF.
Hernane Cauduro, vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq)
 
COMENTÁRIOS


DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Procura-se jovem que saiba calcular. E o que ele procura? Opinião econômica: Eu aposto no Brasil Sua empresa é sustentável? Opinião econômica: Minha Escola, Minha Vida

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo