Porto Alegre, sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016. Atualizado às 18h29.
Dia do Comediante.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
35°C
29°C
24°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9980 4,0000 1,24%
Turismo/SP 3,8000 4,1500 1,21%
Paralelo/SP 3,8000 4,1500 1,21%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Trabalho 26/02/2016 - 16h42min. Alterada em 26/02 às 18h29min

Agropecuária puxa vagas formais no Rio Grande do Sul em janeiro

MAURO SCHAEFEr/arquivo/jc
Mudanças nas regras de concessão de seguro-desemprego levaram a um aumento pequeno na força de trabalho

O mercado formal de trabalho gaúcho registrou, em janeiro deste ano, saldo positivo de 7.263 vagas. Com isso, o Rio Grande do Sul foi contra a maré negativa que fez o Brasil abrir o ano com saldo negativo de 99.694 postos. Em 2015, o mercado nacional havia perdido 1,5 milhão de postos.
O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social, apontou expansão de 0,28% no mercado de trabalho formal no Estado em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada em dezembro.
Frente a janeiro de 2015, o número é pior. Há 12 meses, o saldo havia sido de 8.338. A Região Metropolitana de Porto Alegre terminou o mês com mais demissões que admissões (-0,13% ou 1.501 vagas).
O aumento no mês passado foi puxado pelo emprego na agropecuária (saldo positivo de 6.744 postos) e indústria de transformação (2.708 vagas). Já o comércio liderou os segmentos com queda no emprego, fechando o mês com saldo negativo de 2.332 postos - mais demissões que admissões.
Em 12 meses, o Rio Grande do Sul teve perda de 96.370 postos de trabalho, correspondendo a uma retração de 3,57%, a maior na Região Sul. Em 14 anos (2003 a 2016), o janeiro recente foi o segundo pior saldo de emprego. O janeiro de 2016 foi o segundo pior na geração de oportunidades desde 2009 (2.798 vagas). 
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Economistas acreditam em contínua deterioração no mercado de trabalho
Em janeiro, o comércio eliminou 67.750 empregos e os serviços, 17.159. Indústria e construção civil aparecem em seguida
Caged mostra fechamento de 99.694 vagas de emprego formal em janeiro
O saldo de empregos em janeiro foi negativo em 99.694 postos, pior que o apresentado em janeiro do ano passado, quando ficou negativo em 81.774 vagas pela série sem ajuste
Problemas na alfabetização podem diminuir produtividade no trabalho, diz estudo
Estudo Alfabetismo no Mundo do Trabalho revela que 27% dos brasileiros entre 15 e 64 anos são analfabetos funcionais e 4% são analfabetos
Desemprego chega a 7,6% em janeiro
A taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do País cresceu de 6,9% em dezembro para 7,6% em janeiro

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo