Porto Alegre, quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016. Atualizado às 20h08.
Dia do WebDesigner.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
31°C
36°C
26°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9560 3,9580 0,12%
Turismo/SP 3,8000 4,1500 0,72%
Paralelo/SP 3,8000 4,1500 0,72%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

conjuntura internacional 24/02/2016 - 20h08min. Alterada em 24/02 às 20h08min

Macri enfrenta manifestação contra demissões no serviço público

Folhapress

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, enfrentou hoje a primeira grande paralisação desde que assumiu o mandato, em dezembro. Milhares de funcionários públicos protestaram pelo país, reivindicando que o novo presidente interrompa cortes na folha de pagamento e contrate de volta empregados públicos demitidos nos últimos dois meses.
Sob a bandeira de corte de gastos desnecessários, o novo governo afirma que 6.200 funcionários foram demitidos. Já os sindicatos dizem que as demissões atingiram cerca de 20 mil argentinos, sendo que parte foi recontratada.
Em Buenos Aires, grupos se reuniram nas principais avenidas, como a 9 de Julho, atrapalhando o trânsito. Os jornais locais enfatizaram que as manifestações ocorreram após a entrada em vigor de uma regra que restringe o bloqueio de ruas durante os protestos, determinando que o trajeto da manifestação seja previamente informado às autoridades e vetando o bloqueio total das avenidas.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Argentina pode vender US$ 15 bilhões em títulos para pagar credores
O país emitirá títulos internacionais para pagar os holdouts que fecharam acordo na última semana.
Mauricio Macri lança plano para modernizar Estado na Argentina Países do Oriente Médio devem elevar impostos, diz FMI
O FMI estima que os exportadores de petróleo do Oriente médio e da África do Norte perderam mais de US$ 340 bilhões em receitas no ano passado
Brasil é o 10º país mais complexo do mundo para fazer negócios, diz consultoria
O ranking - que mede a complexidade para as empresas multinacionais cumprirem a regulamentação e legislação corporativa - tem 95 países e é liderado por Argentina, Indonésia e Colômbia

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo