Porto Alegre, quinta-feira, 04 de fevereiro de 2016. Atualizado às 21h39.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
29°C
22°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8940 3,8960 0,61%
Turismo/SP 3,7500 3,9900 3,85%
Paralelo/SP 3,7500 3,9900 3,85%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Trabalho Notícia da edição impressa de 05/02/2016. Alterada em 04/02 às 22h39min

Indicador de desemprego da FGV cai 2,7%

O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) da Fundação Getulio Vargas (FGV) apresentou queda de 2,7% em janeiro, alcançando 97,3 pontos. O resultado interrompe uma sequência de quatro altas consecutivas do indicador e sinaliza uma acomodação da tendência de alta da taxa de desemprego ao início de 2016. Já o Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp), também da FGV, apresentou nova alta em janeiro de 2016, ao variar 5,4%, atingindo 73,8 pontos, o maior nível desde janeiro de 2015 (74,2 pontos). Com o resultado, o indicador sinaliza uma desaceleração da intensidade de queda do total de pessoal ocupado na economia nos próximos meses.
"No caso do IAEmp, o aumento do indicador é positivo, mas com seu nível ainda extremamente baixo, indica apenas que a perspectiva futura parou de piorar. A melhora não parece indicar ampliação do emprego no futuro próximo, mas sim uma redução do nível de destruição do mesmo", afirma Fernando de Holanda Barbosa Filho, economista da FGV/Ibre.

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Aeroviários paralisam aeroportos no País Piso regional pode ser definido nesta semana Diferença salarial entre homens e mulheres cai, mas ambos perdem poder de compra
No ano passado, as mulheres receberam 75,4% da remuneração dos trabalhadores do sexo masculino
Desemprego fica em 6,8% em 2015, maior taxa desde 2009

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo