Porto Alegre, segunda-feira, 18 de janeiro de 2016. Atualizado às 21h36.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
28°C
32°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0330 4,0350 0,29%
Turismo/SP 3,6500 4,2300 0%
Paralelo/SP 3,6500 4,2300 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

MOVIMENTOS SOCIAIS Notícia da edição impressa de 19/01/2016. Alterada em 18/01 às 22h02min

Fórum temático aborda questões do povo negro

JONATHAN HECKLER/JC
Para Araújo, luta do povo negro envolve projeto de nação

Quase 10% das atividades autogestionadas do Fórum Social Temático, que comemora os 15 anos do Fórum Social Mundial em Porto Alegre, estão ligadas de maneira direta ao movimento negro e aos povos tradicionais. O empoderamento da mulher negra e o genocídio dos povos negros no mundo serão alguns dos temas das 39 atividades.

Durante a oficina Reparação História e Humanitária e Projeto Político do Povo Negro para o Brasil, que acontece na quinta-feira pela manhã, será lançada a Campanha de Reparação Já. Por meio da mobilização, a Organização pela Libertação do Povo Negro, o Movimento Unificado de Lutas, a Frente Quilombola do Estado buscam recolher 1,5 milhão de assinaturas nos estados vinculados a causa.

"A nossa luta não é estética, ela envolve rediscutir nosso projeto de Nação", afirma o representante da Frente Quilombola, Onir Araújo, referindo-se ao genocídio da população negra. Em texto assinado pelos proponentes nas redes sociais, é colocado que tráfico e escravidão são crimes reconhecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

"O Brasil assinou o documento final reconhecendo aqueles crimes e concordando com a reparação, mas calou-se quanto ao reconhecimento franco e público em relação à participação direta naqueles crimes e à responsabilidade em repará-los, bem como iniciar o processo de indenização", enfatizam no documento.

O Fórum Social Temático deste ano tem como tema Paz, democracia, direitos dos povos e do planeta. Apesar do grande número de atividades ligadas ao movimento negro, Araújo critica a falta de foco na área. "Em relação à situação concreta que vivemos, é muito pouco", ressalta, ao lembrar o número de atividades autogestionadas ligadas ao movimento. "Em vez de uma questão abstrata, como a democracia, o que deveria estar sendo discutido são os 100 jovens negros que morrem no País por dia", pondera.

As atividades autogestionadas do FST acontecem do dia 20 ao dia 23 de janeiro, nos três turnos.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo