Porto Alegre, segunda-feira, 11 de janeiro de 2016. Atualizado às 21h29.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
32°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0500 4,0520 0,29%
Turismo/SP 3,7000 4,2100 0,47%
Paralelo/SP 3,7000 4,2100 0,47%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

artigo Notícia da edição impressa de 12/01/2016. Alterada em 11/01 às 21h28min

A contribuição do bem

Alexandre Sampaio

As empresas do setor de hotéis, restaurantes, bares e similares têm até o final deste mês para realizarem o pagamento da contribuição sindical patronal. No Rio Grande do Sul, são 13 entidades representativas do setor filiadas à Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), que representa 940 mil estabelecimentos. Toda empresa, sindicalizada ou não, deve recolher, uma vez por ano, essa contribuição. Ela serve para manter e fortalecer a estrutura sindical, garantindo que ela continue exercendo o seu papel.
Entre os serviços prestados constam as negociações coletivas com a categoria de trabalhadores, cujos benefícios estendem-se a todas as empresas enquadradas nesta atividade econômica. Além disso, os sindicatos atuam fortemente nas casas legislativas, em todas as esferas de governo, atentos à regulamentação dos setores representados, minimizando ou, até mesmo, anulando os efeitos de uma política pública desfavorável para a categoria. Da mesma forma, luta pela redução da carga tributária, favorecendo um ambiente de negócios mais propício ao pleno desenvolvimento deste segmento.
Os sindicatos ainda oferecem produtos e serviços indispensáveis às empresas, proporcionando assistência jurídica a seus associados, planos de assistência médica e qualificação da gestão. Mas, sem investimentos, nada disso é possível. Sem o recolhimento da contribuição sindical, as entidades sindicais patronais ficam impossibilitadas de desenvolver ações e investir em representatividade, produtos e serviços.
Com um sindicato e empresas fortes, igualmente ganham os consumidores, pois a melhoria geral do desempenho da empresa repercute diretamente na diminuição dos seus custos, possibilitando um acesso cada vez maior da população a esses serviços, com qualidade. Ganha a empresa, ganha o consumidor, ganha a economia.
Presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação
 
COMENTÁRIOS


DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Balanço do ano de 2015 no e-commerce em seis transformações Pucrs aponta para 2016 Opinião econômica: Fazer o óbvio Férias, calor, praia e a foto no Instagram: ações devem flertar com o veranista

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo