Porto Alegre, terça-feira, 12 de janeiro de 2016. Atualizado às 21h32.
Aniversário da Caixa Econômica Federal.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
28°C
28°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0440 4,0460 0,14%
Turismo/SP 3,7000 4,2400 0,71%
Paralelo/SP 3,7000 4,2400 0,71%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Educação Notícia da edição impressa de 13/01/2016. Alterada em 12/01 às 22h30min

Combate ao bullying no Estado terá apoio de centros

FREDY VIEIRA/JC
Professores passarão por formação sobre resolução de conflitos

Jessica Gustafson

A 24ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), da região de Cachoeira do Sul, inaugura amanhã um Centro Regional de Gestão de Conflitos e Combate ao Bullying. De acordo com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), a iniciativa é pioneira e o local será uma referência para as escolas da rede estadual dos 11 municípios que fazem parte da região de abrangência da CRE.
A professora Cleonice Bankow, que integrará o centro, diz que a intenção é ampliar a ideia para todas as coordenadorias regionais do Estado. Para ela, as atitudes violentas acontecem quando os alunos não respeitam as diferenças. Assim, o trabalho precisa ser feito com toda a comunidade escolar, sendo discutidas questões voltadas à diversidade e à paz.
De acordo com a professora, é importante diferenciar o que é bullying para conseguir auxiliar os alunos que enfrentam a situação. "Ele é a prática de atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, contra uma pessoa indefesa, que podem causar danos físicos e psicológicos às vítimas. Sabemos que existem casos graves que podem levar até ao suicídio", destaca.
Cleonice diz que um dos focos será oferecer formação para que cada escola tenha um professor habilitado para a resolução de conflitos. Ela informou que, em março, iniciará a formação continuada, com encontros mensais.
"A violência é cultural. E se é cultural, pode ser transformada. Temas como orientação sexual, raça e gênero precisam ser discutidos. Mas sabemos que em cada escola a situação acontece de maneira bem específica. Realizaremos neste ano o mapeamento de cada escola, observando a sua realidade. A violência não acontece da mesma forma em todos os locais", explica Cleonice.
O centro auxiliará o trabalho das Comissões Internas de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar (Cipaves), que existem em 1,3 mil escolas estaduais. Os coordenadores passaram por uma formação de 120 horas sobre o tema e devem replicar o conhecimento. As principais atividades desenvolvidas serão prevenção da violência, formação continuada de professores, mediação de conflitos, círculos de construção de paz e círculos restaurativos (espaços para resolução). Assim, o centro terá um viés pedagógico, trabalhando a partir de uma abordagem sistêmica do conflito enquanto possibilidade de aprendizagem e qualificação das relações.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Lego lança robôs para ensinar de biologia a linguagens em escolas
Disponível para pré-venda desde dezembro, deve chegar ao Brasil somente em março

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo