Porto Alegre, sexta-feira, 08 de janeiro de 2016. Atualizado às 23h17.
Dia Nacional do Fotógrafo.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
29°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0380 4,0400 0,34%
Turismo/SP 3,7000 4,2300 0,47%
Paralelo/SP 3,7000 4,2300 0,47%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Manifestação 08/01/2016 - 21h30min. Alterada em 09/01 às 00h17min

Polícia entra em confronto com manifestantes e dispersa protesto do Passe Livre em SP

NELSON ALMEIDA/AFP/JC
Protesto ocorreu por causa do aumento do preço da passagem de ônibus

O protesto contra o aumento do preço das passagens do transporte coletivo em São Paulo foi dispersadoa por voltas das 19h30, depois de a Polícia Militar entrar em confronto com os manifestantes no início da Avenida 23 de Maio, no centro da capital. O local transformou-se em um campo de batalha, com a polícia jogando bombas de gás e disparando em direção a multidão. Alguns manifestantes arremessaram garrafas e pedras nos policiais. A maior parte dos participantes do ato deixou o local pelas ruas próximas ao Terminal Bandeira, no centro da cidade.
Desde o início da manifestação, os policiais cercavam os manifestantes, em uma tática denominada "envelopamento", em que os ativistas são bloqueados pelas laterais e pela retaguarda da passeata por um cordão policial. No entanto, quando a manifestação chegou ao início da 23 de Maio, após passar por debaixo do Viaduto do Chá, os participantes do protesto, repentinamente, correram em direção à pista que não estava bloqueada pelo policiamento e para um local da avenida onde não havia policiais.
A ação dos ativistas pegou a polícia e alguns motoristas desprevenidos. Dois carros ficaram presos entre os ativistas e tentaram escapar usando marcha à ré. Os policiais correram em direção aos manifestantes na tentativa de refazer o cerco original e afastar os ativistas do veículos. A ação da polícia gerou confronto com os manifestantes.
Os policiais passaram então a disparar contra a multidão e a lançar bombas de efeito moral e de gás lacrimogênio. Parte dos ativistas atirou garrafas e pedras nos policiais. Rojões foram arremessados contra a polícia. A partir desse momento, começaram a ocorrer atos de vandalismo. Lixeiras foram queimadas, carros apedrejados e ônibus, destruídos por mascarados.
A polícia informou que houve pessoas feridas e casos de detenção, mas não forneceu mais detalhes.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Protesto para o trânsito no Centro de Porto Alegre Conflito tumultua Marcha das Mulheres Negras

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo